Pesquisar este blog

MPB - Google Notícias

Quem Somos?


 A Rádio Campinarte na verdade é um blog com o objetivo de divulgar, promover e na medida do possível gerar renda para os artistas (músicos) em particular do Terceiro Distrito de Duque de Caxias no Rio de Janeiro.
Um blog com cara de rádio, notícias do mundo do rádio, cantores do rádio.Um blog que tem como uma de suas principais bandeiras os novos talentos sem esquecer dos grandes nomes da música popular brasileira de todos os tempos; sem esquecer os pioneiros, os baluartes, os verdadeiros ícones da era de ouro do rádio. Fazemos isso para que esses novos talentos não percam de vista nossas referências musicais que até hoje são veneradas mundo a fora - uma forma que encontramos de dizer um MUITO OBRIGADO àqueles que nos proporcionaram (e continuam proporcionando) com suas vozes, suas músicas, momentos de paz e alegria. Uma maneira de agradecer a todos que ajudaram a compor as trilhas sonoras de milhões e milhões de pessoas.
Este blog irá gradativamente estreitar os seus laços com as Rádios Comunitárias que desenvolvem um papel importantíssimo em nossos bairros.
A Rádio Campinarte tem (fundamentalmente) um compromisso com a qualidade e o bom gosto / e qualidade e bom gosto nos vamos pinçar nos nossos bairros, o que nós queremos mesmo é fazer jus ao nome: RÁDIO CAMPINARTE - O SOM DAS COMUNIDADES.

Nenhum texto alternativo automático disponível.
CLIQUE NAS IMAGENS E OUÇA OS NOSSOS ESPECIAIS

  
   

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

sábado, 24 de janeiro de 2015

Especial / Paulo Diniz

Paulo Lira de Oliveira

24/1/1940 Pesqueira, PE


Iniciou a carreira artística trabalhando como crooner e baterista de cabarés.
Ainda no Recife, atuou como ator e locutor na Rádio Jornal do Comércio. Em fins da década de 1950, mudou para o Ceará a fim de trabalhar como ator.




Em 1964, transferiu-se para o Rio de Janeiro. Começou a trabalhar como locutor na Rádio Tupi em substituição ao radialista Paulo Porto. Durante algum tempo, foi locutor esportivo. Nesse período, enveredou pela Jovem Guarda, cantando iê-iê-iê. Em 1966, gravou pela Copacabana seu primeiro disco, interpretando "O chorão", de Edson Mello e Luís Keller.



Em 1967, foi morar no Solar da Fossa, onde conviveu com Paulinho da Viola, Caetano Veloso e outros artistas. No mesmo ano lançou o LP "Brasil, brasa, brasileiro", pela Copacabana. Em 1970, lançou o LP "Quero voltar para a Bahia", pela Odeon, onde se destacam "Um chop pra distrair" e a música título, ambas de sua parceriacom Odibar. No ano seguinte, gravou pela mesma gravadora "Paulo Diniz", no qual fez sucesso com "O meu amor chorou", de Luiz Marçal Neto e "Pingos de amor", em parceria com Odibar, um de seus maiores sucessos e que recebeu inúmeras regravações. Gravou, também no mesmo ano, "Asa Branca", de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira.



Em 1974, fez sucesso com a gravação de "E agora José", poema de Carlos Drummond de Andrade musicado por ele. Em 1976, fez sucesso com "Vou me embora pra Pasárgada", poema de Manuel Bandeira que ele musicou. Em 1978 lançou o LP "É marca ferrada", onde fizeram sucesso as composições "Me leva morena", parceria com Marconi Norato e Juhareiz Correya e "Severina cooper (It'S not mole não)", de Accioly Neto.



Em 1984, lançou "Canção do exílio". Ao longo de sua carreira, musicou diversos poemas de consagrados poetas brasileiros, entre os quais Augusto dos Anjos, "Versos íntimos", e Gregório de Mattos, com "Definição do amor". Suas composições foram gravadas por diversos intérpretes, entre os quais Fagner, com "Quero voltar pra Bahia", Simone, que gravou "Chega", Emílio Santiago, com "Um chope pra distrair", Clara Nunes, com "Canseira", Elizeth Cardoso, com "Símbolo de paz".
Sua composição "Pingos de amor" conheceu diversas regravações, entre as quais as de Kid Abelha, Neguinho da Beija-Flor, Ricardo Chaves, Sula Miranda, Fernando Mendes e Araketu.

Em 2002, teve relançados os LPs "Brasa, Brasil, braseiro" e "Quero voltar pra Bahia" em CD na série "Dois em um".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz
Clique na imagem

22 de Novembro é dia de Santa Cecília...

Padroeira dos músicos, por isso hoje também é comemorado o dia do músico. O músico pode ser arranjador, intérprete, regente e compositor. Há quem diga que os músicos devem ter talento nato para isso, mas existem cursos superiores na área e pessoas que estudam música a vida toda.
O músico pode trabalhar com música popular ou erudita, em atividades culturais e recreativas, em pesquisa e desenvolvimento, na edição, impressão e reprodução de gravações. A grande maioria dos profissionais trabalha por contra própria, mas existem os que trabalham no ensino e os que são vinculados a corpos musicais estaduais ou municipais.
A santa dos músicos
Santa Cecília viveu em Roma, no século III, e participava diariamente da missa celebrada pelo papa Urbano, nas catacumbas da via Ápia. Ela decidiu viver casta, mas seu pai obrigou-a a casar com Valeriano. Ela contou ao seu marido sua condição de virgem consagrada a Deus e conseguiu convence-lo. Segundo a tradição, Cecília teria cantado para ele a beleza da castidade e ele acabou decidindo respeitar o voto da esposa. Além disso, Valeriano converteu-se ao catolicismo.

Mito grego
Na época dos gregos, dizia-se que depois da morte dos Titãs, filhos de Urano, os deuses do Olimpo pediram que Zeus criasse divindades capazes de cantar as vitórias dos deuses do Olimpo. Então, Zeus se deitou com Mnemosina, a deusa da memória, durante nove noites consecutivas. Nasceram dessas noites as nove Musas. Dessas nove, a musa da música era Euterpe, que fazia parte do cortejo de Apolo, deus da Música.
Fonte: UFGNet

Rádio MEC AM

CONTOS NO RÁDIO