Pesquisar este blog

MPB - Google Notícias

Quem Somos?


 A Rádio Campinarte na verdade é um blog com o objetivo de divulgar, promover e na medida do possível gerar renda para os artistas (músicos) em particular do Terceiro Distrito de Duque de Caxias no Rio de Janeiro.
Um blog com cara de rádio, notícias do mundo do rádio, cantores do rádio.Um blog que tem como uma de suas principais bandeiras os novos talentos sem esquecer dos grandes nomes da música popular brasileira de todos os tempos; sem esquecer os pioneiros, os baluartes, os verdadeiros ícones da era de ouro do rádio. Fazemos isso para que esses novos talentos não percam de vista nossas referências musicais que até hoje são veneradas mundo a fora - uma forma que encontramos de dizer um MUITO OBRIGADO àqueles que nos proporcionaram (e continuam proporcionando) com suas vozes, suas músicas, momentos de paz e alegria. Uma maneira de agradecer a todos que ajudaram a compor as trilhas sonoras de milhões e milhões de pessoas.
Este blog irá gradativamente estreitar os seus laços com as Rádios Comunitárias que desenvolvem um papel importantíssimo em nossos bairros.
A Rádio Campinarte tem (fundamentalmente) um compromisso com a qualidade e o bom gosto / e qualidade e bom gosto nos vamos pinçar nos nossos bairros, o que nós queremos mesmo é fazer jus ao nome: RÁDIO CAMPINARTE - O SOM DAS COMUNIDADES.


CLIQUE NAS IMAGENS E OUÇA OS NOSSOS ESPECIAIS

  
   

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Especial / G. R. E. S. Acadêmicos do Grande Rio


Escola fundada a 22 de setembro de 1988, tendo na sua bandeira as cores vermelha, verde e branca. Sua sede fica na Rua Almirante Barroso, 5, em Duque de Caxias, cidade da Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro.
Formada pela fusão das Escolas Acadêmicos de Caxias e Grande Rio, além de integrantes de blocos carnavalescos da região, tendo como principal deles o GRBC Lambe Copo.
Na fundação da Escola estavam presentes Antônio, Milton Perácio, Hélio Ribeiro de Oliveira e de alguns membros da família Soares da Silva.
Tem como presidente de honra Jaider Soares e como padrinho o deputado Messias Soares.


Vale lembrar suas principais colocações no Grupo Especial e seus respectivos enredos, segundo o livro "Carnaval - Seis mil anos de história", de autoria de Hiram Araújo,  foram:
1991, décimo quinto lugar no Grupo Especial, com o enredo "Antes, durante e depois, o despertar do homem";
1992, primeiro lugar no Grupo 1, com o enredo "Águas claras para um rei negro";
1993, nono lugar no Grupo Especial, com  o enredo "No mundo da lua ";
1994, décimo segundo lugar no Grupo Especial, com o enredo "Os santos que a África não viu";
1995, décimo sexto lugar no Grupo Especial, com o enredo "Estória para ninar um povo patriota";
1996, décimo primeiro lugar no Grupo Especial, com o enredo "Na era dos Felipes, o Brasil era espanhol";
1997, décimo lugar no Grupo Especial, com o enredo "Madeira-Mamoré, A volta dos que não foram, lá no Guaporé";
1998, oitavo lugar no Grupo Especial,  com o enredo "Luís Carlos Prestes - O Cavaleiro da Esperança";
1999, sexto lugar no Grupo Especial, com o enredo "Ei, ei, ei, Chateau é o nosso rei".



A partir do ano de 2000, com a saída do carnavalesco Max Lopes (transferindo-se para a Mangueira), a Grande Rio convidou o carnavalesco Joãosinho Trinta, que nos anos posteriores levou a escola ao nível das grande escolas do Grupo Especial. Neste mesmo ano de 2000, a escola classificou-se em Nono lugar no Grupo Especial, com o enredo "Carnaval à vista";
2001, desfilou com o enredo "Gentileza "X", o profeta do fogo".
Em 2002, desfilhou com o samba-enredo "Os papagaios amarelos nas terras encantadas do Maranhão" de autoria de Alaílson Cruz e Agenor Neto. Seu puxador oficial é Quinho. A escola classificou-se em 7º lugar no Grupo Especial, conseguindo aclamação popular por seu enredo e criatividade de seu carnavalesco Joãosinho Trinta.
No ano de 2003 desfilou com o samba-enredo "O nosso Brasil que vale", de autoria de Mingau, Marco Moreno e Derê.
Em 2004, horas antes da apuração oficial a diretoria da escola demitiu o carnavalesco Joãosinho Trinta. Com o samba-enredo "Vamos vestir a camisinha, meu amor" (Marco Moreno, Mingau, Derê e Djalma Falcão), puxado por Wander Pires, a escola classificou-se em 10º lugar no Grupo Especial.
No ano de 2005 desfilou com o samba-enredo "Alimentar corpo e alma faz bem!", de Barbeirinho, Competência, Bitar, Marcelinho Santos, Levi Dutra, Licinho Júnior, Derê, Mingal, Leleco e Ciro, tendo como  intérpretes Wander Pires. Com esse enredo consagrou-se em terceiro lugar com 398, 6 pontos.
Em 2006 classificou-se em 2º lugar com o samba-enredo "Amazonas, o Eldorado é aqui", de Márcio das Camisas, Mariano Araújo, Gilbertinho e Professor Elísio, puxado na avenida por Bruno Ribas. 


No ano de 2007 a escola foi a vice-campeã com o samba-enredo "Caxias - O Caminho do Progresso, um Retrato do Brasil", de autoria de Márcio das Camisas, Professor Elísio, Mariano Araújo e Robson Moratelli e que prestou homengagem à cidade. A escola ainda contou com vários destaques, entre os quais Zeca Pagodinho, o ator José Wilker revivendo Tenório Cavalcanti, conhecido como o "Homem da Capa Preta", as atrizes Betty Lago, Fernanda Lima e Nívea Stelmann, a apresentadora Ana Maria Braga e os atores Raul Gazolla e Marcos Paulo e ainda contou com a atriz Grazi Massafera como Rainha da Bateria.
Em 2008 classificou-se em 3º lugar no Grupo Especial com o enredo do carnavalesco Roberto Szanieck e o samba-enredo "Do verde de coarí vem meu gás, sapucaí!", de Arlindo Cruz, Mingau, Emerson Dias, Maurição, Carlos Sena e Edu da Penha, tendo como intérprete Wander Pires.
No ano de 2009 a escola classificou-se em 5º lugar no Grupo Especial com enredo em homenagem à França e samba-enredo de autoria de Deré, Emerson Dias, Rafael Ribeiro e Mingau. A escola desfilou com a rainha de bateria Paola Oliveira; mestre sala e porta bandeira Sidclei e Squel; mestre de bateria Odilon, pesquisa de Hiram Araújo; carnavalesco Cahê Rodrigues; diretor de carnaval Milton Perácio e presidente Hélio Ribeiro de Oliveira.
No ano de 2010 a escola foi vice-campeã do Grupo Especial com o samba-enredo "Das arquibancadas ao camarote nº 1, um Grande Rio de emoções na Apoteose do seu coração", de autoria de Barberinho, Mingau, G. Martins, Arlindo Cruz, Emerson Dias, Levi Dutra, Carlos Sena, Chico da Vila, Da Lua, Isaac, Rafael Ribeiro e Juarez Patoja, tendo como intérprete o cantor Wantuir e como carnavalesco Cahê Rodrigues.
Em 2011 a escola desfilou com o samba-enredo "Y-JURERÊ MIRIM - A Encantador Ilha das Bruxas (Um conto de Cascaes)", de Edispuma, Licinho Jr., Marcelinho Santos e Foca, tendo como intérprete Wantuir. As escolas Grande Rio, Portela e União da Ilha tiveram seus barracões destruídos por um grande incêndio ocorrido em fevereiro, na Cidade do Samba, poucas semanas antes do carnaval. Por decisão do Prefeito do Rio, Eduardo Paes, o secretário municipal de Turismo e presidente da Riotur, Antônio Pedro Figueira e a diretoria da LIESA em conjunto com os presidentes das Escolas de Samba do Grupo Especial, todas as três escolas prejudicadas desfilaram "hors concours", isto é, sem a avaliação dos julgadores.


Em 2012 a escola, no carnaval carioca, classificou-se em 5º lugar, no Grupo especial, com o samba-enredo "Eu Acredito em Você. E Você?", Edispuma, Licinho Jr., Marcelinho Santos e Foca.
No ano de 2013 o G. R. E. S. Acadêmicos do Grande Rio classificou-se em 6º lugar no desfile do Grupo Especial das escolas de samba, do Rio de Janeiro, com o enredo "Amo o Rio e vou à luta: Ouro negro sem disputa... Contra a injustiça em defesa do Rio", do carnavalesco Roberto Szaniecki, tendo como Diretores de Carnaval a dupla Milton Perácio e Tavinho; como Diretor de Harmonia Tavinho Novelo, Mestre de Bateria Ciça; Rainha da Bateria Carla Prata; Mestre Sala Luiz Felipe e Porta Bandeira Verônica, em samba-enredo composto por Mingau, Junior Fragga, Deré, Mingauzinho e Arlindo Neto, interpretado na avenida por Emerson Dias. BIBLIOGRAFIA CRÍTICA: ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira - Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Edição Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006.
AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Esteio Editora, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010.
ARAÚJO, Hiram. Carnaval - Seis milênios de história. Rio de Janeiro: Editora Gryphus, 2000.

G. R. E. S. Acadêmicos do Grande Rio - Dados Artísticos - Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz
Clique na imagem

22 de Novembro é dia de Santa Cecília...

Padroeira dos músicos, por isso hoje também é comemorado o dia do músico. O músico pode ser arranjador, intérprete, regente e compositor. Há quem diga que os músicos devem ter talento nato para isso, mas existem cursos superiores na área e pessoas que estudam música a vida toda.
O músico pode trabalhar com música popular ou erudita, em atividades culturais e recreativas, em pesquisa e desenvolvimento, na edição, impressão e reprodução de gravações. A grande maioria dos profissionais trabalha por contra própria, mas existem os que trabalham no ensino e os que são vinculados a corpos musicais estaduais ou municipais.
A santa dos músicos
Santa Cecília viveu em Roma, no século III, e participava diariamente da missa celebrada pelo papa Urbano, nas catacumbas da via Ápia. Ela decidiu viver casta, mas seu pai obrigou-a a casar com Valeriano. Ela contou ao seu marido sua condição de virgem consagrada a Deus e conseguiu convence-lo. Segundo a tradição, Cecília teria cantado para ele a beleza da castidade e ele acabou decidindo respeitar o voto da esposa. Além disso, Valeriano converteu-se ao catolicismo.

Mito grego
Na época dos gregos, dizia-se que depois da morte dos Titãs, filhos de Urano, os deuses do Olimpo pediram que Zeus criasse divindades capazes de cantar as vitórias dos deuses do Olimpo. Então, Zeus se deitou com Mnemosina, a deusa da memória, durante nove noites consecutivas. Nasceram dessas noites as nove Musas. Dessas nove, a musa da música era Euterpe, que fazia parte do cortejo de Apolo, deus da Música.
Fonte: UFGNet

Rádio MEC AM

CONTOS NO RÁDIO