Pesquisar este blog

MPB - Google Notícias

Quem Somos?


 A Rádio Campinarte na verdade é um blog com o objetivo de divulgar, promover e na medida do possível gerar renda para os artistas (músicos) em particular do Terceiro Distrito de Duque de Caxias no Rio de Janeiro.
Um blog com cara de rádio, notícias do mundo do rádio, cantores do rádio.Um blog que tem como uma de suas principais bandeiras os novos talentos sem esquecer dos grandes nomes da música popular brasileira de todos os tempos; sem esquecer os pioneiros, os baluartes, os verdadeiros ícones da era de ouro do rádio. Fazemos isso para que esses novos talentos não percam de vista nossas referências musicais que até hoje são veneradas mundo a fora - uma forma que encontramos de dizer um MUITO OBRIGADO àqueles que nos proporcionaram (e continuam proporcionando) com suas vozes, suas músicas, momentos de paz e alegria. Uma maneira de agradecer a todos que ajudaram a compor as trilhas sonoras de milhões e milhões de pessoas.
Este blog irá gradativamente estreitar os seus laços com as Rádios Comunitárias que desenvolvem um papel importantíssimo em nossos bairros.
A Rádio Campinarte tem (fundamentalmente) um compromisso com a qualidade e o bom gosto / e qualidade e bom gosto nos vamos pinçar nos nossos bairros, o que nós queremos mesmo é fazer jus ao nome: RÁDIO CAMPINARTE - O SOM DAS COMUNIDADES.

Nenhum texto alternativo automático disponível.
CLIQUE NAS IMAGENS E OUÇA OS NOSSOS ESPECIAIS

  
   

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

domingo, 6 de dezembro de 2015

Campinarte Memória / Emílio Santiago



Emílio Vitalino Santiago  6/12/1946 Rio de Janeiro, RJ  / + 20/03/2013

Biografia /Cantor.


Em 1970, ingressou na Faculdade de Direito. Participou de um festival em sua faculdade, interpretando três canções. Os jurados - Marlene, José Messias, Taiguara, Marcos Valle e Mariozinho Rocha, entre outros - classificaram duas das canções apresentadas pelo quase bacharel em 2º e 3 º lugar e o contemplaram com o Prêmio de (...) [Saiba Mais]

Dados Artísticos


Em 1972, foi convidado a participar do Mercado Internacional de Talentos.
No ano seguinte, gravou seu primeiro disco, um compacto simples contendo a música "Transas de amor" (Sebastião Tapajós e Marilena Amaral) e "Saravá nega" (Odibar). Nessa época, atuava como crooner da Orquestra de Ed Lincoln. Apresentou-se, ainda em 1973, em casas noturnas cariocas (...)

Discografia

  • (2011) Só danço samba – ao vivo (Emílio Santiago) – Biscoito Fino - CD
  • (2010) Só danço samba (Emílio Santiago) • Santiago Music
  • (2007) De um jeito diferente (Emílio Santiago) • Indie Records • CD
  • (2005) O melhor das Aquarelas-Ao vivo (Emílio Santiago) • Indie Records
  • (2003) Emílio Santiago encontra João Donato (João Donato e Emílio Santiago) • Lumiar Discos •CD
  • (2001) Um sorriso nos lábios (Emílio Santiago) • Epic/Sony Music • CD

Shows

  • Só danço samba. Show de lançamento do CD. (2010) Canecão, Rio de Janeiro.
  • Emílio Santiago & João Donato. (2004) Bar do Tom, Rio de Janeiro.
  • Dando uma geral. Garden Hall, Rio de Janeiro.
  • O melhor das Aquarelas. Canecão, Rio de Janeiro.

Bibliografia Crítica

  • ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira - Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006.
  • AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010. [Saiba Mais]

Nota de Falecimento

Morreu nesta quarta-feira (20/03), no Hospital Samaritano, em Botafogo, na zona Sul do Rio de Janeiro, o cantor Emílio Santiago, 66 anos. O cantor tinha sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e foi internado no hospital no dia 07 de março.
Emílio Santiago nos anos 70 começou a cantar em festivais universitários. Nesta mesma década participou de um programa de calouros, chegando aos finais num programa de Flávio Cavalcanti, na extinta TV Tupi e trabalhou como crooner da orquestra de Ed Lincoln, além de muitas apresentações em boates e casas de espetáculos noturnas. Em 1973 lançou o primeiro compacto, com as canções Transa de amor e Saravá Nega, que ocasionou maiores participações em rádios e programas televisivos.
O primeiro LP foi lançado pela CID em 1975, com canções esquecidas de compositores consagrados como Ivan Lins, João Donato, Jorge Benjor, Nelson Cavaquinho, Guilherme de Brito, Marcos e Paulo Sérgio Valle, dentre outros. Transferiu-se no ano seguinte para a Philips/Polygram, permanecendo neste selo até 1984, pelo qual lançou dez álbuns – todos com pouca repercussão. Foi escolhido como melhor intérprete no Festival dos Festivais, da TV Globo em 1985, com a canção Elis Elis.
O sucesso veio na verdade em 1988, quando lançou o LP Aquarela Brasileira pela Som Livre, um projeto especial de sete volumes, dedicado exclusivamente ao repertório de música brasileira; o projeto ultrapassou a marca de quatro milhões de cópias vendidas. Nesta época, lançou também outros projetos especiais, como um tributo ao cantor Dick Farney (Perdido de amor, 1995) ou regravando clássicos do bolero hispânico (Dias de luna, 1996).
Assinou com a Sony Music em 2000. O disco que marca a estreia na nova gravadora é Bossa Nova, que trouxe muitos clássicos do gênero e também rendeu um DVD. Prosseguiu com Um sorriso nos lábios (2001), um tributo a Gonzaguinha e outro ao compositor acreano João Donato em 2003. Em 2005 lançou o álbum O melhor das aquarelas ao vivo, onde reviu o repertório de música brasileira que gravou a partir do álbum Aquarela Brasileira (1988), e que entre os méritos conta ser o primeiro disco ao vivo de Emílio e o segundo DVD da carreira, após Bossa nova.
O último disco de Emílio Santiago foi Só Danço Samba (Ao Vivo), lançado em 2012.
Discografia

1975 – Emílio Santiago
1976 – Brasileiríssimas
1977 – Comigo é assim
1977 – Feito pra ouvir
1978 – Emílio
1979 – O canto crescente de Emílio Santiago
1980 – Guerreiro coração
1981 – Amor de lua
1982 – Ensaios de amor
1983 – Mais que um momento
1984 – Tá na hora
1988 – Aquarela Brasileira
1989 – Aquarela Brasileira 2
1990 – Aquarela Brasileira 3
1991 – Aquarela Brasileira 4
1992 – Aquarela Brasileira 5
1993 – Aquarela Brasileira 6
1995 – Aquarela Brasileira 7
1995 – Perdido de amor
1996 – Dias de luna
1997 – Emílio Santiago
1998 – Emílio Santiago
1998 – Preciso dizer que te amo
2000 – Bossa nova
2001 – Um sorriso nos lábios
2003 – Emílio Santiago encontra João Donato
2005 – O melhor das Aquarelas – ao vivo
2007 – De um jeito diferente
2012 – Só Danço Samba (Ao Vivo)

Seguidores

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz
Clique na imagem

22 de Novembro é dia de Santa Cecília...

Padroeira dos músicos, por isso hoje também é comemorado o dia do músico. O músico pode ser arranjador, intérprete, regente e compositor. Há quem diga que os músicos devem ter talento nato para isso, mas existem cursos superiores na área e pessoas que estudam música a vida toda.
O músico pode trabalhar com música popular ou erudita, em atividades culturais e recreativas, em pesquisa e desenvolvimento, na edição, impressão e reprodução de gravações. A grande maioria dos profissionais trabalha por contra própria, mas existem os que trabalham no ensino e os que são vinculados a corpos musicais estaduais ou municipais.
A santa dos músicos
Santa Cecília viveu em Roma, no século III, e participava diariamente da missa celebrada pelo papa Urbano, nas catacumbas da via Ápia. Ela decidiu viver casta, mas seu pai obrigou-a a casar com Valeriano. Ela contou ao seu marido sua condição de virgem consagrada a Deus e conseguiu convence-lo. Segundo a tradição, Cecília teria cantado para ele a beleza da castidade e ele acabou decidindo respeitar o voto da esposa. Além disso, Valeriano converteu-se ao catolicismo.

Mito grego
Na época dos gregos, dizia-se que depois da morte dos Titãs, filhos de Urano, os deuses do Olimpo pediram que Zeus criasse divindades capazes de cantar as vitórias dos deuses do Olimpo. Então, Zeus se deitou com Mnemosina, a deusa da memória, durante nove noites consecutivas. Nasceram dessas noites as nove Musas. Dessas nove, a musa da música era Euterpe, que fazia parte do cortejo de Apolo, deus da Música.
Fonte: UFGNet

Rádio MEC AM

CONTOS NO RÁDIO