quinta-feira, 18 de abril de 2019

Campinarte de Volta no Tempo / Grandes Nomes do Passado



Gente... O Campinarte não está de brincadeira! A coisa é séria e bota séria nisso.
Vamos dar uma volta no passado só que desta vez vamos destacar alguns nomes da música brasileira que realmente fizeram história.
Eu pesquisei alguns nomes com algumas de suas composições para que tivéssemos mais ou menos uma ideia a respeito de seus talentos.
Muitos nós já ouvimos falar, mas e as suas obras, será que nós a conhecemos mesmo? Claro que não, certo?
Por isso então, prepare-se... Vamos buscar lá fundão do baú músicas maravilhosas e suas gravações (na maioria) originais.
Vale a pena parar, clicar, ouvir, comentar e recomendar essa postagem, tenho certeza, que você não vai se arrepender, confira:
Vamos começar por Noel Rosa...
Selecionei cinco músicas pela ordem:
Positivismo (samba, 1933) - Noel Rosa e Orestes Barbosa - Intérprete: Noel Rosa;
Você Vai Se Quiser (samba, 1936) - Noel Rosa - Intérpretes: Noel Rosa e Marília Batista;
A-b-surdo (marcha, 1931) - Lamartine Babo e Noel Rosa - Intérpretes: Noel Rosa, Lamartine Babo e Olga Jacobino;
Coisas nossas (samba, 1932) - Noel Rosa - Intérprete: Noel Rosa;
Conversa de botequim (samba, 1935) - Noel Rosa e Vadico.

Agora é a vez de Sinhô
Selecionei cinco músicas pela ordem:
Que vale a nota sem o carinho da mulher? (samba, 1928) - Sinhô - Disco 78 rpm - Mário Reis (Intérprete);
Se meu amor me vê - (samba, 1930) - Sinhô - Disco 78 rpm - Francisco Alves (Intérprete) - Campos, Luci (Intérprete);
Burucuntum (samba, 1930) - J.Curangi (J. B. da Silva "Sinhô") - Interpretação de Carmen Miranda, acompanhada pela Orquestra Victor;
Chequerê (choro, 1929) - Sinhô - Interpretação: Januário de Oliveira, acompanhado por Pedroso e Sinhô;
Deus nos livre dos castigos das mulheres (samba, 1928) - Sinhô - Interpretação: Mário Reis.


Agora é a vez de Ary Barroso


Selecionei cinco músicas pela ordem:

Chiribiribi quá quá (marcha/carnaval, 1937) - Ary Barroso e Antônio Nássara;
É mentira, oi! / Autoria: Barroso, Ary (Compositor) / Sílvio Caldas (Intérprete);
Falta um zero no meu ordenado / Autoria: Barroso, Ary (Compositor) / Lacerda, Benedito, 1903-1958 (Compositor) / Francisco Alves (Intérprete) / Guari (Acompanhante) / Orquestra Odeon (Acompanhante);
Vamos deixar de intimidade / Autoria: Barroso, Ary (Compositor) / Reis, Mário (Intérprete) / Orquestra Pan American (Acompanhante);
Vou à Penha / Autoria: Barroso, Ary (Compositor) / Mário Reis (Intérprete) / Orquestra Pan American (Acompanhante).


Agora vamos de Francisco Alves
Selecionei cinco músicas pela ordem:
A dança do funiculi / Autoria: Lacerda, Benedito, 1903-1958 (Compositor) / Martins, Herivelto (Compositor) / Francisco Alves (Intérprete) / Orquestra (Acompanhante);
A melhor das três / Autoria: Pires Vermelho, Alcyr, 1906-1994 (Compositor) / Babo, Lamartine, 1904-1963 (Compositor) / Francisco Alves (Intérprete) / Diabos do Céu (Acompanhante);
A.m.e.i. / Autoria: Frazão, Eratóstenes (Compositor) / Nássara, 1910-1996 (Compositor) / Francisco Alves (Intérprete) / Diabos do Céu (Acompanhante);
Amor de malandro / Autoria: Alves, Francisco (Compositor) / Freire Junior (Compositor) / Alves, Francisco (Intérprete);
É sopa (17 a 3) (marcha, 1930) - Eduardo Souto - Disco 78 rpm - Intérprete: Francisco Alves - Orquestra Pan American (Acompanhante).

Agora vamos de Almirante
Selecionei cinco músicas pela ordem:
Batente / Autoria: Almirante, 1908-1980 (Compositor) / Almirante, 1908-1980 (Intérprete) / Bando de Tangarás, 1929-1931 (Intérprete);
Faustina / Autoria: Gadé, 1904-1969 (Compositor) / Almirante, 1908-1980 (Intérprete);
Yes! nós temos bananas... / Autoria: Ribeiro, Alberto, 1902-1971 (Compositor) / João de Barro, 1907-2006 (Compositor) / Almirante, 1908-1980 (Intérprete) / Orquestra Odeon (Acompanhante) / Bountman, S (Acompanhante);
Eu vou pra Vila / Rosa, Noel, 1910-1937 (Compositor) / Almirante, 1908-1980 (Intérprete) / Bando de Tangarás (Intérprete);
O orvalho vem caindo / Autoria: Pepe, Kid (Compositor) / Rosa, Noel, 1910-1937 (Compositor) / Almirante, 1908-1980 (Intérprete) / Diabos do Céu (Acompanhante).

Campinarte de Volta no Tempo / Ano 1905


Vamos agora dar um pulinho no ano de 1905, vejam só o que o Campinarte conseguiu para ouvirmos e curtirmos, músicas bem antigas com suas gravações (na maioria) originais. Isso mesmo, vamos sair dessa mesmice de hoje em dia e ouvir essa nossa pesquisa feita lá pelo início do século XX.
Pela ordem, teremos:
Escovado (tango) - Ernesto Nazareth
Farrula (valsa) - Anacleto de Medeiros
Maxixe aristocrático (maxixe) - José Nunes
Meu assobio (cançoneta) - Eustórgio Wanderley
Talento e formosura (modinha) - Edmundo Otávio Ferreira e Catulo da Paixão
Terna saudade (Por um beijo) (valsa) - Anacleto de Medeiros e Catulo da Paixão.

Campinarte de Volta no Tempo / Ano 1904


Hoje nós vamos voltar ao ano em que o Bangu (meu time do coração) foi fundado, 1904.
Eu consegui algumas músicas compostas nesse ano de 1904 e olha, são músicas muito bonitas, vale a pena ouvir, ouvir e ouvir.
Pela ordem, teremos:
Alvorada das rosas (romança) - Júlio Reis
Corta-jaca (Gaúcho) (tango) - Chiquinha Gonzaga
Margarida (mazurca) - Patápio Silva
O sonho (romança) - Patápio Silva
Primeiro amor (valsa) - Patápio Silva
Rato, rato (polca) - Casimiro da Rocha e Claudino Costa
Saudades de Matão (Francana) (valsa) - Jorge Galati
Serenata de amor (romança) - Patápio Silva

Campinarte de volta no tempo / Tempo que eu nem se quer vivi

Parece uma coisa prá lá de maluca, mas quem é que nunca sentiu saudades de um tempo que nem se quer viveu?
Isso mesmo, saudade de tempos idos movidos por um quadro, uma roupa, uma casa, uma rua ou praça ou por uma ou umas músicas?
Quando uma coisa muito antiga te leva a uma curiosidade em saber como era viver naquele tempo, como deveria ser lidar com as pessoas, os negócios, a condução, o lazer, o amor...
Eu as vezes me sinto assim dessa maneira, eu sinto saudades de um tempo que nem se quer vivi. Basta ouvir uma música bem antiga que a primeira coisa que me vem à cabeça e imaginar como seria viver naquele tempo, no tempo em que a tal música antiga foi lançada. Principalmente quando a letra da tal música (por exemplo) cita detalhes de uma época distante.
Por causa disso eu fiz uma seleção de músicas bem antigas para recordar um tempo que na verdade eu nem se quer vivi.
Pela ordem, temos:
A borboleta gentil (valsa, 1902) - Autor desconhecido;
A conquista do ar (marcha, 1902) - Letra e música do cantor Eduardo das Neves) - Interpretação: Bahiano;
Isto é bom (lundu, 1902) - Xisto Bahia - Interpretação: Bahiano;
O fadário - (Medrosa) (canção, 1902) - Anacleto de Medeiros e Catulo da Paixão Cearense.

sábado, 13 de abril de 2019

Dicas e Fatos do Samba / Dona Ivone Lara



Yvonne Lara da Costa
 13/4/1921 Rio de Janeiro, RJ

Cantora. Compositora.

O pai, João da Silva Lara, era mecânico de bicicletas, além de violonista e componente do Bloco dos Africanos. D. Emerentina, a mãe, era pastora do Rancho Flor do Abacate.
Aos seis anos de idade, ficou órfã de pai e mãe, sendo internada por parentes no Colégio Orsina da Fonseca, no bairro da Tijuca, Zona (...)
[Saiba Mais]

Dados Artísticos

Em 1947, fez o samba "Nasci para sofrer", com o qual a escola Prazer da Serrinha desfilou. Com o fim desta escola e o nascimento da Império Serrano, passou a fazer parte da Escola de Samba Império Serrano. É desta época o samba "Não me perguntes", em parceria com Mestre Fuleiro, considerado por muitos como o hino da escola. Em parceria com Silas de Oliveira e Bacalhau, (...)
[Saiba Mais]

Obras

  • A menina e o tempo (c/ Bruno Castro e Zé Luiz do Império)
  • À procura da felicidade
  • Acreditar (c/ Délcio Carvalho)
  • Adeus ao senhor da razão (c/ Bruno Castro)
  • Agradeço a Deus (c/ Mano Décio da Viola)
  • Alguém me avisou
[Saiba Mais]

Discografia

  • (2015) Sambabook Ivone Lara (vários) • Selo Musikeria • CD
  • (2015) Sambabook Ivone Lara (vários) • Selo Musikeria • DVD
  • (2010) Dona Ivone Lara • Universal Music • DVD
  • (2010) Nas escritas da vida • Independente • CD
  • (2009) Canto de Rainha • Universal Music • CD
  • (2009) Canto de Rainha • Universal Music • DVD
[Saiba Mais]

Shows

  • Dona Ivone Lara – show “Canto de Rainha" (2013) Teatro Rival, Rio de Janeiro
  • Dona Ivone Lara e Bruno Castro (2012) Teatro Rival, Rio de Janeiro
  • Dona Ivone Lara - lançamento do CD “Baú da Dona Ivone” (2012) Teatro Rival, Rio de Janeiro
  • Dona Ivone Lara (2011) Teatro Rival, RJ
  • projeto “Encontro de Mulher dá Samba” (2011) Fundição Progresso, Rio de Janeiro
  • Festival Fábrica do Samba. Maracanãzinho, RJ, (2003)
[Saiba Mais]

Bibliografia Crítica

  • ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira - Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006.
  • ALBIN, Ricardo Cravo. MPB - A História de Um Século. 2ª ed. Revista e ampliada, Rio de Janeiro: MEC/Funarte/Instituto Cultural Cravo Albin, 2012.
  • ALBIN, Ricardo Cravo. MPB, a história de um século. Rio de Janeiro: Atração Produção Ilimitada/MEC/Funarte, 1997
  • ALBIN, Ricardo Cravo. O livro de ouro da MPB. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003.
  • AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.
  • ARAÚJO, Hiram. Carnaval - seis milênios de história. Rio de Janeiro. Editora Gryphus, 2000.
[Saiba Mais]

Crítica

Ivone Lara cumpre uma longa e maturada carreira dentro da música popular. Nesse mais de meio século ela produziu originalidades que nos encantaram a todos. Como não considerar originalidade o fato de ela, mulher e mãe de família, ingressar na ala dos compositores do então recém-fundado Império Serrano, isso quando a ala era um clube apenas de (...)
[Saiba Mais]

terça-feira, 9 de abril de 2019

segunda-feira, 8 de abril de 2019

Campinarte de Volta no Tempo / Jovem Guarda

Vamos voltar no tempo, no tempo da Jovem Guarda, porém, lembrando nomes que não são muitos lembrados quando o assunto é nostalgia, aliás, vamos ouvir também algumas músicas que não são muito lembradas nos varandões da saudade que andam por aí.
Campinarte na jovem Guarda apresenta nessa edição. Pela ordem:
Carlos Gonzaga – Cavaleiros do Céu; 
Demétrius – O Ritmo da Chuva; 
Diana – Canção dos Namorados; 
Dori Edson – Perto dos Olhos, Longe do Coração; 
Ed Wilson – Saudade; 
Elisabeth – O Amor que eu sempre quis; 
Elizângela – Ele ou Você; 
José Roberto – Lágrimas nos Olhos; 
Marcos Roberto – Será; 
Osmar Navarro – Quem é?; 
Roberto Livi – Parabéns Querida.

Quem Somos?



A Rádio Campinarte na verdade é um blog com o objetivo de divulgar, promover e na medida do possível gerar renda para os artistas (músicos) em particular do Terceiro Distrito de Duque de Caxias no Rio de Janeiro.
Um blog com cara de rádio, notícias do mundo do rádio, cantores do rádio. Um blog que tem como uma de suas principais bandeiras os novos talentos sem esquecer dos grandes nomes da música popular brasileira de todos os tempos; sem esquecer os pioneiros, os verdadeiros ícones da era de ouro do rádio.
Fazemos isso para que esses novos talentos não percam de vista nossas referências musicais que até hoje são veneradas mundo a fora - uma forma que encontramos de dizer um MUITO OBRIGADO àqueles que nos proporcionaram (e continuam proporcionando) com suas vozes, suas músicas, momentos de paz e alegria. Uma maneira de agradecer a todos que ajudaram a compor as trilhas sonoras de milhões e milhões de pessoas.
Este blog irá gradativamente estreitar os seus laços com as Rádios Comunitárias que desenvolvem um papel importantíssimo em nossos bairros.
A Rádio Campinarte tem (fundamentalmente) um compromisso com a qualidade e o bom gosto / e qualidade e bom gosto nós vamos pinçar nos nossos bairros.
O que nós queremos mesmo é fazer jus ao nome: Rádio Campinarte, o som das comunidades.


CLIQUE NAS IMAGENS E OUÇA OS NOSSOS ESPECIAIS



Seguidores