Pesquisar este blog

MPB - Google Notícias

Quem Somos?


 A Rádio Campinarte na verdade é um blog com o objetivo de divulgar, promover e na medida do possível gerar renda para os artistas (músicos) em particular do Terceiro Distrito de Duque de Caxias no Rio de Janeiro.
Um blog com cara de rádio, notícias do mundo do rádio, cantores do rádio.Um blog que tem como uma de suas principais bandeiras os novos talentos sem esquecer dos grandes nomes da música popular brasileira de todos os tempos; sem esquecer os pioneiros, os baluartes, os verdadeiros ícones da era de ouro do rádio. Fazemos isso para que esses novos talentos não percam de vista nossas referências musicais que até hoje são veneradas mundo a fora - uma forma que encontramos de dizer um MUITO OBRIGADO àqueles que nos proporcionaram (e continuam proporcionando) com suas vozes, suas músicas, momentos de paz e alegria. Uma maneira de agradecer a todos que ajudaram a compor as trilhas sonoras de milhões e milhões de pessoas.
Este blog irá gradativamente estreitar os seus laços com as Rádios Comunitárias que desenvolvem um papel importantíssimo em nossos bairros.
A Rádio Campinarte tem (fundamentalmente) um compromisso com a qualidade e o bom gosto / e qualidade e bom gosto nos vamos pinçar nos nossos bairros, o que nós queremos mesmo é fazer jus ao nome: RÁDIO CAMPINARTE - O SOM DAS COMUNIDADES.

Nenhum texto alternativo automático disponível.
CLIQUE NAS IMAGENS E OUÇA OS NOSSOS ESPECIAIS

  
   

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Especial / Rosa Passos


Cantora, violonista e compositora que estreou o disco "Recriação". Em 1993 lançou o CD "Festa", interpretando parcerias com Fernando de Oliveira e Aldir Blanc, entre outros, e três anos depois, gravou o CD "Pano pra manga", predominantemente autoral.
Em 2002, lançou somente para o mercado americano o CD "Me and my heart" com Paulo Paulelli(baixo acústico e percussão de boca) e participou de diversos festivais de jazz, acompanhada por vários músicos de renome internacional, como Toots Thielemans, Paquito D'Rivera e David Finch. Ainda nesse ano, lançou o CD "Azul", contendo composições de Djavan, Gilberto Gil e João Bosco. O disco contou com a participação de Teco Cardoso, Léa Freire, Lula Galvão, Proveta e da Banda Mantiqueira.
Site Sobre a Cantora: http://www.rosapassos.com.br/

UMA MÚSICA DE SUCESSO / ASA BRANCA

Criamos essa seção para matar a curiosidade de muitos amigos e leitores no que diz respeito a determinadas músicas.
Vamos (na medida do possível) apresentar aqui músicas que fizeram, fazem e (pelo jeito) continuarão fazendo sucesso por muitos e muitos anos.
Músicas que tiveram muitos intérpretes, muitas versões e que evidentemente não poderiam ficar de fora do repertório de grandes cantores, cantoras, orquestras, bandas, etc.
Uma Música de Sucesso, apresenta: ASA BRANCA /
Selecionamos essas versões da música Asa Branca para que você internauta possa conferir numa única seqüência os vários estilos de diversos intérpretes. Não foi possível reunir todas as gravações dessa verdadeira jóia composta por Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, mas o que conseguimos pensamos ser o suficiente para darmos uma mostra do que chamamos com todas as letras de UMA MÚSICA DE SUCESSO!





quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

De volta no tempo / A música de Ricardo Bezerra


Montado num cavalo-ferro, Ricardo Bezerra via sua poesia ecoar pelo Brasil, quando a geração que viria a ser conhecida como ´Pessoal do Ceará´ recolocou a produção musical cearense no mapa, na década de 70. Presente no disco ´Meu Corpo, Minha Embalagem, Todo Gasto na Viagem´, compartilhado por Ednardo, Téti e Rodger Rogério, ´Cavalo-ferro´ exemplificou a parceria entre Ricardo e Raimundo Fagner, estampada também no título do LP de estréia do cantor, ´Manera Fru Fru Manera´.

Apesar desses êxitos que o tempo não cuida de superar, Ricardo Bezerra faz questão de relativizar seus méritos como letrista, destacando a própria inclinação para a música, mesmo sem pretensões de virtuosismo. ´Na verdade, essa minha fase de letrista foi um acidente de percurso, porque o Fagner não se dedicava a isso, e eu assumi na nossa parceria, na época´, delimita. ´Mas até hoje ainda tô pra entender como consegui fazer a letra de ´Cavalo ferro´, de ´Manera Fru Fr u´. Acho que só a idade mesmo, né? A gente é afoito, se mete e faz. Ali naqueles dois casos deu certo, mas foi graças às músicas que o Fagner botou ali´, credita, humildemente omitindo a própria desenvoltura na melodia de canções como ´Sina´, creditada a ele, Fagner e ao autor dos versos: Patativa do Assaré. Outro clássico da música feita no Ceará.

´Meu lado mesmo sempre foi a música. Toco piano desde muito novo. Estudei com a Dona Vanda e com o Orlando Leite, em uma pequena formação, de dois, três anos, mas que deu uma base muito forte´, rememora. ´E aí nunca mais deixei. Não tem como deixar a música. É uma coisa visceral´.

Passadas mais de três décadas desde sua própria estréia em disco solo (com o LP ´Maraponga´, de 1978), Ricardo se prepara agora para encarar um novo desafio: uma apresentação no X Festival Jazz & Blues de Guaramiranga. Na segunda-feira de carnaval, o piano Steinway que deve subir a serra será o veículo para o compositor compartilhar histórias e criações com o público - privilegiando temas mais recentes e falando de seu processo criativo, muitas vezes marcado pela ludicidade.

´Tive experiências como a da ´Trilogia do Sonho´, de fazer umas músicas sonhando... É um barato´, aponta. ´Outras músicas ficam sem nome, levam o nome da hora em que foram feitas. ´Domingo de manhã´, ´Quinta de noite´...´, enumera. ´Uma eu fiz e tinha certeza que era uma música que já existia, um plágio. Mostrei a vários amigos, a outros músicos, e todo mundo me dizia que não, que era uma música nova. Aí acabei deixando o ´plágio´ no nome. Ficou ´Plágio em bolero´, embora nem seja mais um bolero´, ri-se.

Outra dessa nova safra é ´Carnaval da Aurora´, uma marchinha que surgiu de estalo, ao ouvir em um programa de rádio a produtora cultural Aurora Miranda Leão. ´Veio a idéia de uma marchinha, porque ela estava falando em um festival de marchas. Chamei outras pessoas pra fazer junto, mas acabei fazendo sozinho mesmo. Se houver clima, encerro o show em Guaramiranga com essa música, aproveitando que vai ser carnaval´.

Biografia

Compositor. Cantor.
[Saiba Mais]

Dados Artísticos

Como compositor tem três parcerias com Fagner, "Cavalo ferro", "Manera frufru manera" e "Sina". Lançou no fim da década de 70 um LP no qual misturava MPB com elementos do rock.
[Saiba Mais]

Obras

  • Cavalo ferro (c/ Fagner)
  • Manera frufru manera (c/ Fagner)
  • Sina (c/ Fagner)
[Saiba Mais]

Discografia

  • ([S/D]) Ricardo Bezerra • LP
[Saiba Mais]

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Especial / Brenda Lee

 Lee nasceu com pouco mais de 2 kg, em 11 de dezembro de 1944, na enfermaria de caridade Grady Memorial Hospital em Atlanta,Geórgia. Ela frequentou colégios de ensino fundamental, onde seu pai trabalhou, principalmente, na rota entre Atlanta e Augusta. Sua família era pobre e vivia precariamente numa casa de 3 cômodos, sem água corrente. Ali, Brenda dividia a mesma cama com 2 irmãos. Sua vida resumia-se em ver seus pais procurando emprego, na sua família e na Igreja Batista, onde ela cantava 'solo' a cada domingo.[2]
 
O pai de Lee, Ruben Tarpley, era filho de um fazendeiro que possuia uma área de terras férteis, na Geórgia. Embora a sua altura fosse de apenas 1m70, ele era um excelente arremessador canhoto e passou 11 anos nos Estados Unidos jogando beisebol. Sua mãe,Grayce Yarbrough Tarpley, era da mesma origem humilde da classe operária de Greene County, da Geórgia. Lee era um prodígio musical. Embora sua família não tivesse água encanada até depois da morte de seu pai, possuia um rádio a pilhas que fascinou Brenda, como a um bebê. Na época, embora tivesse apenas 2 anos, ela conseguia assobiar as melodias das canções que ouvia no rádio.[3] Tanto a mãe como uma das irmãs levaram-na várias vezes a uma loja de doces local, onde Brenda, assentada sobre um balcão, ganhava doces e moedas para cantar.

Maiores sucessos: 1958-1965

Lee conseguiu seu maior sucesso nas paradas pop no final dos anos 1950 até meados da década de 1960 com rockabilly e rock and rollcanções de estilo. Seus maiores sucessos incluem "Jambalaya", "Sweet Nothin's" (n. 4) (escrito pelo músico país Ronnie Self), "I Wanna Be Wanted" (No. 1) ",All Alone Am I"(N. 3) e" Fool # 1 "(n. 3). Ela tinha mais hits com as canções pop mais baseadas em" That's All You Gotta Do "(n. º 6), " Emoções "(n. 7) "Você pode depender de mim" (N. 6), Dum Dum" (n. 4), 1962's "Break It To Me Gently"(N. 2), " Everybody Loves Me But You "(n. º 6), e" As Usual "(n. 12).
A faixa mais vendido da carreira de Lee foi um Natal canção. Em 1958, quando ela tinha 13 anos, produtor Owen Bradley perguntou-a para gravar uma música nova com Johnny Marks, que teve sucesso escrevendo músicas de Natal para os cantores de country, mais notavelmente "Rudolph a Rena do Nariz Vermelho"(Gene Autry) E "A Holly Jolly Christmas" (Burl Ives). Lee gravou a canção, "Rockin 'Around a árvore de Natal", em julho, com uma parte de guitarra proeminente twanging por Hank Garland. Decca lançou como um single em novembro daquele ano, mas vendeu apenas 5 000 cópias, e não fez muito melhor quando ele foi lançado novamente em 1959. No entanto, vendeu mais de cinco milhões de cópias.
Em 1960, gravou sua canção-assinatura "I'm Sorry", que foi número 1 no Quadro de avisos em paradas. Foi seu primeiro ouro individual e foi nomeado para um Grammy. Mesmo que ele não fosse lançado como uma canção de país, ele foi um dos primeiros grandes hitsde usar o que viria a ser a som em Nashville - uma orquestra de cordas e vocal de apoio harmonizado legato. "Rockin Around da Árvore de Natal" tem notado em sua terceira versão, alguns meses depois, e as vendas bola de neve, a música continua a ser um eterno favorito no mês de dezembro e é o registro com o qual ela é mais identificado pelo público contemporâneo.
Seu último single top dez das paradas pop em 1963 foi de "Losing You" (n. 6), enquanto ela continuava a ter canções outro gráfico como sua canção em 1966 "Coming On Strong" e "Is It True?" em 1964. Este último, com Jimmy Page na guitarra, foi seu único hit single gravado em Londres, Inglaterra e foi produzido pela Mickie Most.

Memória / Janis Joplin


Site Oficial - Saiba Tudo

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O Que Há de Melhor Pelas Comunidades / Grupo Tudo @ Ver

Apresentação Carlito do Sal
O programa de hoje é dedicado ao Grupo Tudo a Ver que é formado por uma rapaziada da melhor qualidade lá de Nova Campinas, Duque de Caxias - RJ.
Ouviremos na seqüência: Oh! Tentação / Pra valorizar / Não deu em nada 
O Grupo Tudo a Ver nasceu em agosto de 2006, como quase todo grupo de samba, num encontro de amigos. Como a maioria dos integrantes já tocavam profissionalmente o entrosamento foi inevitável. Com o passar dos tempos, o grupo foi homenageado em rede nacional, por seus padrinhos do grupo Molejo na radio FM o DIA e receberam de presente de seus padrinhos o fechamento do CD. Em 2010 o grupo tem planos de divulgar bastante seu disco e trabalhar. O grupo Tudo @ Ver destaca-se pelo altíssimo nível da qualidade musical e a versatilidade do seu repertório. O grupo tem como principal característica à capacidade de emocionar e cativar o público pela qualidade de misturar o samba à MPB.

Grupo Mani@.Com

* Contatos p/ Shows: (21)7653-9001/ (21)2775-5556
* Osvaldo Dias

Ulisses (voz) / Nóbua (Surdo e Percussão Geral) / Marcelo (Tantã e Percussão Geral) / Geovani (Cavaquinho) / Fabinho (Pandeiro)

O amor e a paixão em comum pela boa música, fez com que um grupo de amigos de Santa Cruz da Serra, um bairro do município de Duque de Caxias, se reunisse com objetivo único de transmitir alegria, amor, paz e amizade. Amigos que tinham como ídolos, alguns nomes de músicos que, com certeza, ficaram para eternidade.

Programa - O que há de melhor pelas comunidades / Simone Tertuliano

Começou na música muito cedo, participando de corais de igreja.
Com o passar do tempo, se formou professora de canto,violão e teclado e levava a vida assim, até que conheceu Cíntia Possidonio, também cantora e compositora, e formou a dupla, com isso teve que optar entre a igreja e a M.P.B. E a M.P.B. ganhou !!!
Hoje se apresenta em Shopping’s e barzinhos da cidade, mostrando todo o seu talento e versatilidade .
Está no momento trabalhando o seu primeiro CD. Um CD autoral com algumas músicas em parceria de sua amiga Juçara Freire, com arranjos de Silvestre Alcântara e Produção de Telma Sucupira.

Confira nos sites algumas músicas desse CD tão esperado, e guarde bem esse nome Simone Tertuliano...Teles: 8885-7611 / 2759-0678

Seguidores

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz
Clique na imagem

22 de Novembro é dia de Santa Cecília...

Padroeira dos músicos, por isso hoje também é comemorado o dia do músico. O músico pode ser arranjador, intérprete, regente e compositor. Há quem diga que os músicos devem ter talento nato para isso, mas existem cursos superiores na área e pessoas que estudam música a vida toda.
O músico pode trabalhar com música popular ou erudita, em atividades culturais e recreativas, em pesquisa e desenvolvimento, na edição, impressão e reprodução de gravações. A grande maioria dos profissionais trabalha por contra própria, mas existem os que trabalham no ensino e os que são vinculados a corpos musicais estaduais ou municipais.
A santa dos músicos
Santa Cecília viveu em Roma, no século III, e participava diariamente da missa celebrada pelo papa Urbano, nas catacumbas da via Ápia. Ela decidiu viver casta, mas seu pai obrigou-a a casar com Valeriano. Ela contou ao seu marido sua condição de virgem consagrada a Deus e conseguiu convence-lo. Segundo a tradição, Cecília teria cantado para ele a beleza da castidade e ele acabou decidindo respeitar o voto da esposa. Além disso, Valeriano converteu-se ao catolicismo.

Mito grego
Na época dos gregos, dizia-se que depois da morte dos Titãs, filhos de Urano, os deuses do Olimpo pediram que Zeus criasse divindades capazes de cantar as vitórias dos deuses do Olimpo. Então, Zeus se deitou com Mnemosina, a deusa da memória, durante nove noites consecutivas. Nasceram dessas noites as nove Musas. Dessas nove, a musa da música era Euterpe, que fazia parte do cortejo de Apolo, deus da Música.
Fonte: UFGNet

Rádio MEC AM

CONTOS NO RÁDIO