Pesquisar este blog

MPB - Google Notícias

Quem Somos?


 A Rádio Campinarte na verdade é um blog com o objetivo de divulgar, promover e na medida do possível gerar renda para os artistas (músicos) em particular do Terceiro Distrito de Duque de Caxias no Rio de Janeiro.
Um blog com cara de rádio, notícias do mundo do rádio, cantores do rádio.Um blog que tem como uma de suas principais bandeiras os novos talentos sem esquecer dos grandes nomes da música popular brasileira de todos os tempos; sem esquecer os pioneiros, os baluartes, os verdadeiros ícones da era de ouro do rádio. Fazemos isso para que esses novos talentos não percam de vista nossas referências musicais que até hoje são veneradas mundo a fora - uma forma que encontramos de dizer um MUITO OBRIGADO àqueles que nos proporcionaram (e continuam proporcionando) com suas vozes, suas músicas, momentos de paz e alegria. Uma maneira de agradecer a todos que ajudaram a compor as trilhas sonoras de milhões e milhões de pessoas.
Este blog irá gradativamente estreitar os seus laços com as Rádios Comunitárias que desenvolvem um papel importantíssimo em nossos bairros.
A Rádio Campinarte tem (fundamentalmente) um compromisso com a qualidade e o bom gosto / e qualidade e bom gosto nos vamos pinçar nos nossos bairros, o que nós queremos mesmo é fazer jus ao nome: RÁDIO CAMPINARTE - O SOM DAS COMUNIDADES.

Nenhum texto alternativo automático disponível.
CLIQUE NAS IMAGENS E OUÇA OS NOSSOS ESPECIAIS

  
   

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

sábado, 21 de dezembro de 2013

Morre Reginaldo Rossi - O Rei do Brega

Brasília – O corpo do cantor Reginaldo Rossi será velado no início da noite desta sexta-feira (20), na Assembleia Legislativa de Pernambuco. Rossi, de 69 anos, estava em tratamento de câncer de pulmão desde 27 de novembro e morreu na manhã de hoje, no Hospital Memorial São José, no Recife. Geraldo Júlio, prefeito do Recife, cidade natal de Rossi, e Eduardo Campos,  governador do estado, decretaram luto oficial de três dias. O enterro será amanhã (21), às 20h, no Cemitério Morada da Paz.
Com cabeleira farta e camisa aberta ao peito, Reginaldo Rossi ganhou o título de “Rei do Brega”e construiu uma carreira de sucesso durante décadas. O primeiro disco, O Pão, foi lançado em 1966. A partir daí, Rossi gravou uma série de sucessos e deixou sua marca na música brasileira. Mon Amour, Meu Bem, Ma Femme e A Raposa e as Uvas” estão entre os maiores sucessos, mas a marca registrada é a canção Garçom, considerada um dos hinos do estilo brega.
Rossi apostava em canções que falavam da dor de ser traído, desprezado por alguém que amava. Foram 31 álbuns ao longo da carreira, entre músicas inéditas, gravações de shows e coletâneas. No final dos anos 90 do século passado, lançou um álbum ao vivo, que o colocou definitivamente nas rádios e emissoras de televisão de todo o país, conferindo-lhe projeção nacional.
Reginaldo Rossi conquistou 14 discos de ouro, dois de platina, um de platina duplo e um de diamante.
Marcelo Brandão
Repórter da Agência Brasil
Prefeito e governador decretam luto oficial pela morte de Reginaldo Rossi | Agência Brasil



Reginaldo Rossi

 14/2/1944 Recife, PE
 20/12/2013 Recife, PE

Biografia

Cantor. Compositor. Estudou Engenharia Civil por quatro anos e chegou a dar aulas de matemática. Começou a se interessar por música em 1964, ouvindo os Beatles e intérpretes da Jovem Guarda. Faleceu aos 69 anos de idade, vítima de câncer no pulmão, no Hospital Memorial São José, onde estava internado desde o dia 27 de novembro. Um (...)
[Saiba Mais]

Dados Artísticos

  Iniciou a carreira em 1964, imitando Roberto Carlos em apresentações em bares e clubes de Recife. Na época, era acompanhado pelo conjunto The Silver Jets. Em 1966 lançou selo Chantecler seu primeiro LP, "O pão", música título composta em parceria com Namir Cury e Orácio Faustino. No ano seguinte lançou o LP "Festa dos pães", (...)
[Saiba Mais]

Obras

  • A dor, o pranto e a solidão
  • A guerra acabou
  • A idade do lobo
  • A porta
  • A raposa e as uvas
  • Amor, amor, amor
[Saiba Mais]

Discografia

  • (2010) Cabaret do Rossi - Emi Music - DVD
  • (2006) Reginaldo Rossi ao vivo - Emi Music - DVD
  • (2003) Reginaldo Rossi • EMI • CD
  • (2003) Ao Vivo, O melhor do brega • Indie Records • CD
  • (2001) Reginaldo Rossi ao vivo • Sony Music • CD
  • (2001) Para Sempre -Reginaldo Rossi • EMI • CD
[Saiba Mais]

Shows

  • 2001 - Metropolitan - RJ
  • 2001 - Olimpia - SP
[Saiba Mais]

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Especial / Ângela Rô Rô


Ângela Maria Diniz Gonçalves
 5/12/1949 
Começou a estudar piano clássico aos cinco anos, sendo influenciada ao longo de seu caminho por ícones como Noel Rosa, Frank Sinatra, Maria Bethânia, The Beatles, Rolling Stones além de muita música latina e jazz.
Entre 1971 e 1974 Angela Ro Ro morou na Inglaterra, em Londres, trabalhando como faxineira, garçonete, cantora e pianista. Isso tudo bem distribuído durante seus dias. Quando voltou para o Brasil, em 1974, deu "canjas" nas melhores casas noturnas do Rio de Janeiro.
Sua carreira como compositora brotou aos seis anos de idade com uma guarânia em seu acordeon. Se firmou durante sua estadia na Europa e ao voltar para o Brasil se destacou como autora e cantora em sua participação no Festival de Rock de Saquarema (RJ), em 1976, no qual também se apresentaram Raul Seixas, Made in Brazil e Rita Lee. Entre 1977 e 1978 foi gravada por As Frenéticas (Agito e uso), Marina Lima (Não há cabeça) e Ney Matogrosso (Não há cabeça e Balada da arrasada).
Em 1979 foi convidada pelo produtor Paulinho Lima para gravar seu primeiro LP, "Angela Ro Ro", pela PolyGram. Em 11 de maio desse ano Angela tinha feito sua estreia nacional com show no Teatro Ipanema (RJ), onde se acompanhava ao piano. O show foi um evento cult, em horário alternativo, meia noite. O teatro lotou e cerca de 150 pessoas ficaram do lado de fora. Na plateia nomes como Sandra Pêra e Marina Lima.

Sua primeira música a tocar nas rádios foi "Tola foi você", mas o primeiro grande sucesso veio com "Amor, meu grande amor", música com letra de Ana Terra e que lhe conferiu o título de "A Sensação do Ano" em nota publicada pelo "Jornal do Brasil", em dezembro de 1979. Ainda nesse ano, Maria Bethânia gravou sua composição "Gota de sangue", a primeiro sucesso por outro artista, no LP "Mel".
Em 1980, um novo sucesso foi emplacado: sua composição "Só nos resta viver", título de seu segundo disco, também lançado pela PolyGram. No ano seguinte lançou seu terceiro LP, "Escândalo". No encarte escreveu: "E eu apresento a vocês, mais do que nunca exposta, a mulher criadora, criatura encantada, fascinante, seduzida e abandonada e feliz por ser achada em um estado de graça óbvio dos poetas".
Em 1983, emplacou a canção "Simples carinho" (João Donato e Abel Silva), com arranjo de Antonio Adolfo e a participação de Maurício Einhorn na gaita, em mais um disco pela PolyGram. No encarte um desabafo: "Eu quero que vocês saibam que a dor é presente em minha vida tão como a alegria, e que, se não me livro dela, da alegria jamais tão pouco".
Em 1984, outra canção de sua autoria foi gravada por Maria Bethânia, "Fogueira".
Na década de 1990, realizou shows em diversas casas noturnas, acompanhada por banda ou sozinha ao piano e desfrutou da fabulosa oportunidade de trabalhar como crooner da Rio Jazz Orquestra regida pelo maestro e saxofonista Marcos Szpilman. Em 1993, lançou pela Som Livre o disco "Nosso amor ao armagedon - Angela Ro Ro ao vivo", gravado na casa de show carioca Jazzmania e produzido por Angela e Ezequiel Neves. Realizou ainda temporada no Teatro Rival, Rio de Janeiro.
Lançou, em 2000, o CD "Acertei no milênio" pela gravadora Jam Music, contendo suas composições "Coquinho", "Fila de ex-mulher", a faixa-título, "Boemia do sono", "Sim, dói", "Viciei em você", "Raiado de amor" e "Garota Mata Hari", além de "Gota d'água" (Chico Buarque), "50 anos" (Cristóvão Bastos e Aldir Blanc), "All of me" (Marks e Sinom) e "Don't let me be misunderstood" (Marcus, Benjamim e Caldwel), sendo três dessas músicas as primeiras parcerias com Ricardo McCord, seu arranjador e pianista. O rock "Viciei em você" foi incluída na novela "Desejos de mulher" (Rede Globo). Fez show de lançamento do disco no Teatro Rival (RJ).
Em 2001, apresentou-se, ao lado de Cida Moreira, no Espaço Cultural Baden Powell (RJ), dentro do "Projeto Ponte Aérea", que juntou artistas de São Paulo e do Rio.
Participou, em 2002, do projeto "Pão Music", no espetáculo "Maria Bethânia convida Lenine e Angela Ro Ro". Nesse mesmo ano, a Universal Music lançou em CD os seis discos gravados pela cantora na gravadora PolyGram: "Angela Ro Ro" (1979), "Só nos resta viver" (1980), "Escândalo" (1981), "Simples carinho" (1982), "A vida é mesmo assim" (1984) e "Eu desatino" (1985).
Em 2004, apresentou-se no Teatro Rival BR, com o show "Meus Hits". Nesse ano, passou a apresentar, no Canal Brasil, o programa "Escândalo", temporada pródiga que contou com a presença de mais de 50 grandes artistas e durou dois anos.
Em 2006 Angela Ro Ro gravou o CD "Compasso" e fez show no Circo Voador (RJ) para registrar o CD e DVD "Angela Ro Ro ao vivo", com participações de Alcione, Frejat e Luiz Melodia. No repertório, suas canções de maior sucesso e algumas releituras inesquecíveis.
Em 2008 Simone e Zélia Duncan gravaram Agito e uso. Nesse mesmo ano participou do projeto "Loucos por música" se apresentando no Canecão (Rio) ao lado de Elba Ramalho e na Concha Acústica do Teatro Castro Alves (Salvador) com Ivete Sangalo.
No inverno de 2009 participou dos duetos de Ana Carolina no CD e DVD "Multishow Registro Nove+1" cantando a música "Homens e mulheres". No final desse ano lançou o CD "Escândalo" recuperando números musicais do programa de TV. Em 2010 fez parte de tributo a Yoko Ono lembrando o genial John Lennon em um projeto do produtor Marcelo Fróes pelo selo Discobertas. Nesse ano cantou "Fim de comédia", a convite do produtor Thiago Marques, de CD em homenagem ao centenário de Ataulfo Alves (Lua Music). No ano seguinte cantou "A flor e o espinho" em tributo do mesmo produtor ao compositor Nelson Cavaquinho.
Em 2011 estreia o programa de web rádio "Nas ondas da Ro Ro", gravado em apresentações quinzenais no Rio e recebendo participações de diversos artistas. Os primeiros programas foram gravados no Espaço Acústica e desde janeiro vem gravando no Teatro Rival Petrobrás. Passam participações de Dudu Nobre, Silvia Machete, Teresa Cristina, Ricky Vallen, Elba Ramalho, Emílio Santiago, Elza Soares, Marcos Sacramento, Farofa Carioca, Rita Ribeiro, Antonio Adolfo, Carol Saboya entre outros.
Enquanto isso Angela Ro Ro cuida de sua vida e bem estar com a meta de trabalhar muito, lançar CDs e DVDs e se alegrar alegrando as pessoas.

Seguidores

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz
Clique na imagem

22 de Novembro é dia de Santa Cecília...

Padroeira dos músicos, por isso hoje também é comemorado o dia do músico. O músico pode ser arranjador, intérprete, regente e compositor. Há quem diga que os músicos devem ter talento nato para isso, mas existem cursos superiores na área e pessoas que estudam música a vida toda.
O músico pode trabalhar com música popular ou erudita, em atividades culturais e recreativas, em pesquisa e desenvolvimento, na edição, impressão e reprodução de gravações. A grande maioria dos profissionais trabalha por contra própria, mas existem os que trabalham no ensino e os que são vinculados a corpos musicais estaduais ou municipais.
A santa dos músicos
Santa Cecília viveu em Roma, no século III, e participava diariamente da missa celebrada pelo papa Urbano, nas catacumbas da via Ápia. Ela decidiu viver casta, mas seu pai obrigou-a a casar com Valeriano. Ela contou ao seu marido sua condição de virgem consagrada a Deus e conseguiu convence-lo. Segundo a tradição, Cecília teria cantado para ele a beleza da castidade e ele acabou decidindo respeitar o voto da esposa. Além disso, Valeriano converteu-se ao catolicismo.

Mito grego
Na época dos gregos, dizia-se que depois da morte dos Titãs, filhos de Urano, os deuses do Olimpo pediram que Zeus criasse divindades capazes de cantar as vitórias dos deuses do Olimpo. Então, Zeus se deitou com Mnemosina, a deusa da memória, durante nove noites consecutivas. Nasceram dessas noites as nove Musas. Dessas nove, a musa da música era Euterpe, que fazia parte do cortejo de Apolo, deus da Música.
Fonte: UFGNet

Rádio MEC AM

CONTOS NO RÁDIO