Homenageado do mês de Novembro / Paulinho da Viola / Paulo César Batista de Faria - 12/11/1942 Rio de Janeiro, RJ / Compositor. Cantor. Instrumentista..

Campinarte Dicas e Fatos / O nosso jornal falado

MPB - Google Notícias

Quem Somos?


 A Rádio Campinarte na verdade é um blog com o objetivo de divulgar, promover e na medida do possível gerar renda para os artistas (músicos) em particular do Terceiro Distrito de Duque de Caxias no Rio de Janeiro.
Um blog com cara de rádio, notícias do mundo do rádio, cantores do rádio.Um blog que tem como uma de suas principais bandeiras os novos talentos sem esquecer dos grandes nomes da música popular brasileira de todos os tempos; sem esquecer os pioneiros, os baluartes, os verdadeiros ícones da era de ouro do rádio. Fazemos isso para que esses novos talentos não percam de vista nossas referências musicais que até hoje são veneradas mundo a fora - uma forma que encontramos de dizer um MUITO OBRIGADO àqueles que nos proporcionaram (e continuam proporcionando) com suas vozes, suas músicas, momentos de paz e alegria. Uma maneira de agradecer a todos que ajudaram a compor as trilhas sonoras de milhões e milhões de pessoas.
Este blog irá gradativamente estreitar os seus laços com as Rádios Comunitárias que desenvolvem um papel importantíssimo em nossos bairros.
A Rádio Campinarte tem (fundamentalmente) um compromisso com a qualidade e o bom gosto / e qualidade e bom gosto nos vamos pinçar nos nossos bairros, o que nós queremos mesmo é fazer jus ao nome: RÁDIO CAMPINARTE - O SOM DAS COMUNIDADES.


CLIQUE NAS IMAGENS E OUÇA OS NOSSOS ESPECIAIS

  
   

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

terça-feira, 29 de julho de 2014

Campinarte Memória / Anísio Silva



 29/7/1920 Caitité, BA 
 18/2/1989 Rio de Janeiro, RJ


Biografia

Cantor. Compositor.Nascido em Caitité, BA, ainda na infância mudou-se com a família para o interior de São Paulo, e posteriormente, para a capital paulista. Em 1945, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde empregou-se como balconista de farmácia. Em 1968, afastou-se gradativamente da carreira artística, passando a se dedicar à administração de uma casa noturna no Rio de Janeiro. (...)
[Saiba Mais]

Dados Artísticos

De estilo romântico, estreou em discos em 1952 quando gravou pela Star o samba-canção "Um passarinho tristonho", de Mary Monteiro e Acúrcio Rosas, e a valsa "Quando eu me lembro", de Alencar Terra. Em 1953, na Copacabana, que sucedeu a gravadora Star, lançou em dueto com o cantor Jack Jony o fox-trote "Aquela noite", parceria sua com Oliveira Neto e o baião "Um grande amor", parceria com Jorge (...)
[Saiba Mais]

Obras

  • Abismo
  • Aperta-me em teus braços (c/ Almeida Rêgo)
  • Aquela noite (c/ Oliveira Neto)
  • Caminhos opostos (c/ Wilson Pinho)
  • Chora minh'alma (c/ Lindolfo Gaya)
  • Conta teu sonho (c/ Roberto Faissal)
[Saiba Mais]

Discografia

  • (1998) Seleção de Ouro/Anísio Silva-Grandes sucessos • EMI • CD
  • (1997) Meus momentos • EMI • CD
  • (1975) Anísio Silva • Copacabana • LP
  • (1970) Anísio Silva • Continental • LP
  • (1968) Lembrança de você • Odeon • LP
  • (1967) Retôrno • Odeon • LP
[Saiba Mais]

Bibliografia Crítica

  • AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.
  • CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.
  • MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.
  • SEVERIANO, jairo e MELLO, zuza Homem de. A canção no tempo. Vol. 1. São Paulo: Editora 34, 1997.
[Saiba Mais]

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Campinarte Especial / Guilherme Arantes

 28/7/1953 São Paulo, SP 

Biografia

Cantor. Compositor. Tecladista. Arranjador.
Aprendeu a tocar piano aos seis anos de idade. Na adolescência, fez parte do grupo Os Polissonantes, cujo baixista era o ator Kadu Moliterno. Estudou na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), em São Paulo, mas abandonou o curso para dedicar-se à música.
[Saiba Mais]

Dados Artísticos

Iniciou sua carreira profissional em 1969, com o conjunto de rock progressivo Moto Perpétuo, com o qual gravou um LP em 1974, registrando nove músicas de sua autoria.
Produziu jingles e vinhetas para os estúdios Pauta e Vice-Versa.
Em 1976, deixou o grupo e partiu para carreira solo, lançando o LP “Guilherme Arantes”, com destaque para (...)
[Saiba Mais]

Obras

  • 14 anos
  • 1980
  • 20. 000 léguas em 80 dias
  • A 1a. voz desperta
  • A bandinha
  • A cara e a coragem
[Saiba Mais]

Discografia

  • (2013) Condição humana (sobre o tempo) (Guilherme Arantes) – Coaxo de Sapo - CD
  • (2007) Intimidade • Som Livre
  • (2003) Aprendiz • Som Livre • CD
  • (2001) Guilherme Arantes. Ao vivo • Epic Sony/Music • CD
  • (2000) Guilherme Arantes. Ao vivo • PlayArte Music • CD
  • (2000) New classic piano solos • Sony Music • CD
[Saiba Mais]

Shows

  • Condição humana. Show de lançamento do CD – Vivo Rio, Rio de Janeiro (2013)
[Saiba Mais]

Bibliografia Crítica

  • ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira - Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006.
  • AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010.
[Saiba Mais]
Guilherme Arantes - Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Especial / Sueli Costa


Sueli Costa
Sueli Correa Costa /  25/7/1943 Rio de Janeiro, RJ 
Para os parceiros, letristas talentosos, Sueli Costa sempre tem a melodia perfeita na ponta dos dedos. Para o público, inúmeros clássicos glorificados em nobres gargantas como as de Elis, Simone, Nara, Bethânia, Nana, Lucinha, Gal. A arte de Sueli é essencialmente feminina. A arte de Sueli é para todos.
Sueli Costa
E para provar que a arte não tem barreiras, alguns de nossos maiores cantores também mergulharam na alma da música de Sueli. Fagner, Cauby, Ney, Pedro Mariano são alguns do que entenderam o recado e deram vida aos sucessos da compositora.
O nascimento foi no Rio de Janeiro, em 25 de julho de 1943. Mineira de coração e criação, foi em Juiz de Fora que, aos quatro anos, teve as primeiras lições e noções de piano com a mãe, Maria Aparecida Correa Costa, que também ensinava canto coral. Dos encontros musicais familiares nasceu o Trieto, com as irmãs Telma Costa (cantora, já falecida) e Lisieux Costa (pianista e compositora), para participar dos festivais que borbulhavam nas cidades vizinhas. Os outros dois irmãos, o pianista Afrânio e o violonista Élcio Costa se formaram em direito.
Ainda em Juiz de Fora, aos 17 anos, compôs sua primeira música inspirada em uma participação da cantora Sylvia Telles em um programa de TV. A mãe e o irmão foram os primeiros ouvintes deBalãozinho, que nasceu no violão. Mas logo elegeu o piano como parceiro mais constante para as melodias e musicou letras de João Medeiros Filho. A primeira, Por exemplo: você, foi gravada pelo grupo Manifesto e por Nara Leão em 1967.
Sueli Costa
Como os irmãos, Sueli também flertou com os estudos de leis e decretos. Em 1969 fez suas malas e abandonou a faculdade no último ano. Mudou-se para o Rio de Janeiro, onde já costumava passar os finais de semana, em busca de novos e belos horizontes. Na capital da bossa nova dividiu com o promissor compositor Sidney Miller as músicas do espetáculo musical Alice no país do divino maravilhoso e ensinou música em escolas.
Em 1971 Maria Bethânia incluiu em seu histórico show Rosa dos ventos três composições de Sueli Costa: AldebarãAssombrações e Sombra amiga. No ano seguinte foi a vez de Elis Regina prestar atenção nas melodias de Sueli e gravar 20 anos blue, primeiro grande sucesso da compositora que havia sido composto em uma viagem de ônibus entre o Rio e Juiz de Fora.
Com o sucesso de suas músicas, foi contratada pela EMI e gravou seu primeiro LP, em 1975, com produção de Gonzaguinha e arranjos de Paulo Moura e Wagner Tiso. Dois anos depois veio o segundo LP, em 1977, com produção de João Bosco e Aldir Blanc. Por essa época largou o trabalho como professora por não conseguir conciliar as duas funções e conheceu seu marido, Raymundo Wanderley, com quem ficou casada por oito anos e teve seu único filho, Pedro, em 1979.
Sueli Costa
O talento de Sueli não está somente em moldurar com suas músicas os inspirados versos. Ela também sabe como poucos escolher seus parceiros. No início Cacaso e Tite de Lemos eram os mais constantes. Depois vieram companheiros como Aldir Blanc, Ana Terra, Paulo César Pinheiro e Abel Silva, talvez a mais fértil dobradinha.
No início dos anos 80, quando a boa música brasileira ainda encontrava espaço nas rádios e nos ouvidos do público, Sueli Costa deu vida a vários clássicos através de Simone (Alma e Jura secreta), Maria Bethânia (Coração ateu), Nana Caymmi (Nem uma lágrima), Elis Regina (O primeiro jornal).
Em 2000, com funks, pagodes e axés dominando as rádios, Sueli ganhou de Lucinha Lins o elogiado e emocionado CD Canção brasileira, um verdadeiro tributo à sua obra.
Sueli já dividiu palco com grandes colegas, como Fátima Guedes, Rosa Passos e Joyce. No Projeto Pixinguinha, dividiu microfones com Simone batendo recorde de público do projeto segundo a revista Veja. ...
Sueli Costa
por Beto Feitosa

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Especial / Amália Rodrigues



1920 / Amália da Piedade Rodrigues nasceu na Rua Martim Vaz, na freguesia da Pena, próximo da Mouraria, em Lisboa. Os pais eram naturais da Beira Baixa mas radicados em Lisboa durante alguns anos. É a quinta de nove filhos. A data certa do nascimento é desconhecida: em documentos oficiais nasceu a 23 de Julho, mas Amália sempre considerou que nasceu no primeiro dia desse mês. Não é o que ficou declarado no Registro Civil. Para ela o que importava é que foi no tempo das cerejas e no signo do Leão.
1921 / Os pais de Amália, por dificuldades de subsistência, regressam para a Beira Baixa deixando Amália em Lisboa a cargo dos avós maternos.
1929 / Inicia a escola primária em Lisboa, na Escola Primária da Tapada da Ajuda. É numa festa da escola que canta pela primeira vez em público.

Os pais de Amália voltam novamente para Lisboa, mas Amália continua a viver com os avós.

1932 / Arranja emprego como bordadeira depois de terminar a escola primária.
1933 / Emprega-se nas fábricas de bolos da Pampulha, em Lisboa.
1934 / Passa a morar com os pais e os irmãos na zona operária junto ao Tejo.
1935 / Vai trabalhar com a irmã Celeste, dois anos mais nova,  no Cais da Rocha, acompanhadas pela mãe, vendedora de fruta. Sai na Marcha de Alcântara, depois de os seus responsáveis a ouvirem cantar na rua, como era seu hábito, cantando como solista "Fado de Alcântara". As marchas populares ficarão para sempre no reportório de Amália.


Numa festa de beneficência, Amália canta pela primeira vez em público acompanhada à guitarra, pelo tio João Rebordão.


Nelson Sargento: "O samba não recebe dinheiro suficente para grande espe...




terça-feira, 22 de julho de 2014

Especial / Carlos Alberto





Nuno Soares / Cantor. / Morando em Petrópolis, em 2005, continuou fazendo shows pelo Brasil. / [Saiba Mais]



Dados Artísticos

Chamado de o Rei do Bolero na década de 1960, é apontado como o cantor que mais gravou boleros no Brasil. Lançou em 1965 , pela CBS o LP "Carlos Alberto canta para enamorados" com acompanhamento da orquestra de Alexandre Gnattali, interpretando entre outras, as músicas "Raiva de ti", de Evaldo Gouveia e Jair Amorim, "O nosso amor está morrendo", de Raul Sampaio e Benil Santos, "Não sei não", (...)



Discografia

(2000) Minha rainha e outros sucessos • CID • CD
  • (1991) Só pra quem ama • Fama • LP
  • (1986) Música e romance • CID • LP
  • (1984) Serestas de ouro - vol. 2 • CID • LP
  • (1983) Quando me quiseres • Copacabana • LP
  • (1979) Carlos Alberto • CBS • LP


Dicas e Fatos do Samba / A música de Elton Medeiros

Élton Antônio Medeiros

22/7/1930 Rio de Janeiro, RJ
Compositor. Cantor. Produtor. Radialista.

Nasceu no bairro da Glória e aos sete anos mudou-se com a família para o subúrbio de Brás de Pina.
O pai, Luís Antônio de Medeiros, funcionário do Arsenal da Marinha, participava de ranchos - como o Flor do Abacate e Mimosas Cravinas - e costumava fazer festas em sua casa, freqüentada por (...)

Dados Artísticos


Aos 17 anos tocava de dia na Orquestra Juvenil de Estudantes, que se apresentava na Rádio Roquete Pinto, e à noite tocava trombone na gafieira Fogão, do compositor Uriel Azevedo.
Em 1959 o cantor Jamelão, acompanhado da Orquestra Tabajara, gravou de sua autoria "Falta de queda".
No início da década de 1960, juntamente com Cartola, Nelson Cavaquinho, (...)
Obras

  • A maioria sem nenhum (c/ Mauro Duarte)
  • A mesma estória (c/ Cartola)
  • A ponte (c/ Paulo César Pinheiro)
  • Ame (c/ Paulinho da Viola)
  • Antigas lembranças (c/ Antonio Valente)
  • Aurora de paz (c/ Cacaso)

Dicas e Fatos do Samba / Especial - Chico da Silva

Francisco Ferreira da Silva



Foto de Chico da Silva
Cantor. Compositor.

Na década de 1990 foi acometido por uma doença que quase o impossiblitada de cantar, o que veio a atrapalhar sua carreira de cantor.

Em 2008 atuou como compositor do Boi Garantido, na grande festa de Parintins (AM).

Candidatou-se a vereador por Manaus.

Dados Artísticos

Em 1977 a cantora Alcione lançou o LP "Pra que chorar", disco que chegou à marca de 400 mil cópias vendidas, graças ao sucesso do samba "Pandeiro é meu nome", de Chico da Silva e Venâncio. Neste mesmo ano Chico da Silva foi contratado pela PolyGram e lançou o disco "Samba: quem sabe diz..." no qual regravou seu primeiro sucesso nacional, o samba "Pandeiro é meu nome", em parceria com Venâncio. (...)

Obras

  • A chave (c/ Venâncio)
  • A chuva (c/ Brito Pará)
  • A dama do vestido mal feito (c/ Venâncio)
  • A Deus pertence (c/ Daniel e Venâncio)
  • A lei do samba (c/ Venâncio)
  • A meia noite

terça-feira, 8 de julho de 2014

BAZAR BRASILEIRO - Moraes Moreira (1980) Álbum Completo



Moraes Moreira
Compositor

  • Antônio Carlos Moreira Pires, mais conhecido como Moraes Moreira, é um cantor, compositor e músico brasileiro, ex-integrante do grupo Novos Baianos e que hoje segue carreira solo. Wikipédia


  • Nascimento: 8 de julho de 1947 (67 anos), Brasil

  • Grupo musical: Novos Baianos (1969 – 1975)


  • Seguidores

    Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz

    Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz
    Clique na imagem

    22 de Novembro é dia de Santa Cecília...

    Padroeira dos músicos, por isso hoje também é comemorado o dia do músico. O músico pode ser arranjador, intérprete, regente e compositor. Há quem diga que os músicos devem ter talento nato para isso, mas existem cursos superiores na área e pessoas que estudam música a vida toda.
    O músico pode trabalhar com música popular ou erudita, em atividades culturais e recreativas, em pesquisa e desenvolvimento, na edição, impressão e reprodução de gravações. A grande maioria dos profissionais trabalha por contra própria, mas existem os que trabalham no ensino e os que são vinculados a corpos musicais estaduais ou municipais.
    A santa dos músicos
    Santa Cecília viveu em Roma, no século III, e participava diariamente da missa celebrada pelo papa Urbano, nas catacumbas da via Ápia. Ela decidiu viver casta, mas seu pai obrigou-a a casar com Valeriano. Ela contou ao seu marido sua condição de virgem consagrada a Deus e conseguiu convence-lo. Segundo a tradição, Cecília teria cantado para ele a beleza da castidade e ele acabou decidindo respeitar o voto da esposa. Além disso, Valeriano converteu-se ao catolicismo.

    Mito grego
    Na época dos gregos, dizia-se que depois da morte dos Titãs, filhos de Urano, os deuses do Olimpo pediram que Zeus criasse divindades capazes de cantar as vitórias dos deuses do Olimpo. Então, Zeus se deitou com Mnemosina, a deusa da memória, durante nove noites consecutivas. Nasceram dessas noites as nove Musas. Dessas nove, a musa da música era Euterpe, que fazia parte do cortejo de Apolo, deus da Música.
    Fonte: UFGNet

    Rádio MEC AM

    CONTOS NO RÁDIO