Pesquisar este blog

MPB - Google Notícias

Quem Somos?


 A Rádio Campinarte na verdade é um blog com o objetivo de divulgar, promover e na medida do possível gerar renda para os artistas (músicos) em particular do Terceiro Distrito de Duque de Caxias no Rio de Janeiro.
Um blog com cara de rádio, notícias do mundo do rádio, cantores do rádio.Um blog que tem como uma de suas principais bandeiras os novos talentos sem esquecer dos grandes nomes da música popular brasileira de todos os tempos; sem esquecer os pioneiros, os baluartes, os verdadeiros ícones da era de ouro do rádio. Fazemos isso para que esses novos talentos não percam de vista nossas referências musicais que até hoje são veneradas mundo a fora - uma forma que encontramos de dizer um MUITO OBRIGADO àqueles que nos proporcionaram (e continuam proporcionando) com suas vozes, suas músicas, momentos de paz e alegria. Uma maneira de agradecer a todos que ajudaram a compor as trilhas sonoras de milhões e milhões de pessoas.
Este blog irá gradativamente estreitar os seus laços com as Rádios Comunitárias que desenvolvem um papel importantíssimo em nossos bairros.
A Rádio Campinarte tem (fundamentalmente) um compromisso com a qualidade e o bom gosto / e qualidade e bom gosto nos vamos pinçar nos nossos bairros, o que nós queremos mesmo é fazer jus ao nome: RÁDIO CAMPINARTE - O SOM DAS COMUNIDADES.


CLIQUE NAS IMAGENS E OUÇA OS NOSSOS ESPECIAIS

  
   

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

domingo, 30 de abril de 2017

Morre aos 70 anos o cantor Belchior





Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernades
 
726/10/1946 Sobral, CE
+ 30/04/2017, RS
 Biografia
Compositor. Cantor.
Seu pai tocava flauta e saxofone e sua mãe cantava em coro de igreja. Tinha tios poetas e boêmios. Ainda criança recebeu influência dos cantores de rádio Ângela Maria, Cauby Peixoto e Nora Ney. Estudou piano e música coral, sendo também programador da rádio da sua cidade natal. Em 1962, mudou-se para Fortaleza (...)


Um dos membros do chamado Pessoal do Ceará, que inclui Fagner, Ednardo, Rodger, Cirino e outros. Começou sua carreira apresentando-se em festivais de música no Nordeste, entre 1965 e 1970. Em 1971 increveu-se no IV Festival Universitário e ganhou o primeiro lugar com a música "Hora do almoço", interpretada por Jorge Melo e Jorge Teles. Na mesma época, (...)

Obras

  • A palo seco
  • Aguapé (Epígrafe de Castro Alves)
  • Alucinação
  • Amor de perdição (c/ Francisco Casaverde)
  • Amor e crime (c/ Francisco Casaverde)
  • Antes do fim
[Saiba Mais]

Discografia

  • (2002) Pessoal do Ceará • CD
  • (1999) Auto-retrato-CD 1-Pequeno perfil de um cidadão comum. CD 2-Pequeno mapa do tempo • Paraíso/GPA/Velas • CD
  • (1999) Antologia Lírica-Produzido especialmente para a Casa de Cultura de Sobral - CE • CD
  • (1996) Vício elegante • Paraíso/GPA/Velas • CD
  • (1995) Acústico - Um Concerto Bárbaro • Polygram
  • (1994) Minha História • Polygram
[Saiba Mais]

Shows

  • Belchior e Simone. Teatro João Caetano, RJ.
  • Cenas do próximo capítulo. Casa de shows Mamute.
  • Elogio da loucura. Teatro João Caetano, RJ.
[Saiba Mais]

Bibliografia Crítica

  • MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.

Memória / Dorival Caymmi


Dorival Caymmi
 30/4/1914 Salvador, BA 
 16/8/2008 Rio de Janeiro, RJ

Compositor. Cantor. Violonista.

Filho de Durval Henrique Caymmi e Aurelina Cândida Caymmi, conhecida por Dona Sinhá. O pai era funcionário público e tocava violão, bandolim e piano. Sua mãe cantava muito bem. Teve três irmãos: Deraldo, Diná e Dinair. Aos seis anos de idade, começou a freqüentar a Escola de Belas Artes, (...)
[Saiba Mais]

Dados Artísticos

Em 1935, começou a participar de alguns programas na Rádio Clube da Bahia. No mesmo ano, o radialista Gilberto Martins, que tinha ido a Salvador com o cantor Leo Vilar, iniciou nova fase no rádio baiano que até então só irradiava discos. Gilberto assumiu a direção da Rádio Clube, lançando o compositor com o programa "Caymmi e (...)
[Saiba Mais]

Obras

  • A Bahia também dá
  • A jangada voltou só
  • A lenda do Abaeté
  • A mãe-d’água e a menina
  • A preta do acarajé
  • A vizinha do lado
[Saiba Mais]

Discografia

  • (2000) Caymmi amor e mar • EMI • CD
  • (1996) Caymmi inédito • Universal • CD
  • (1994) Caymmi em família • Som Livre • CD
  • (1988) Família Caymmi em Montreux • Odeon • CD
  • (1987) Família Caymmi • LP
  • (1985) Caymmi, som, imagem e magia • Sargaço Produções • LP
[Saiba Mais]

Bibliografia Crítica

  • ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira - Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006.
  • AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.
  • AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.
  • BARBOZA, Marília Trindade e ALENCAR, Vera. Caymmi Som Imagem Magia - Salvador: Fundação Emílio Odebrecht, 1985.
  • CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.
  • CAYMMI, Stella. Dorival Caymmi - o mar e o tempo. São Paulo: Editora: 34, 2002.
[Saiba Mais]

Crítica

“Minhas canções não chegam a 100”, atesta modestamente o mestre Dorival Caymmi. O que já valeu ao compositor a fama carinhosa e folclórica de preguiçoso deve ser, na verdade, entendido como uma virtude, um traço perfeccionista da sua personalidade musical. Em Caymmi, qualidade, e não quantidade, gerou uma obra extremamente singular, (...)
[Saiba Mais]

sábado, 29 de abril de 2017

Especial / Nana Caymmi


Dinahir Tostes Caymmi
 29/4/1941 Rio de Janeiro, RJ

Cantora. Compositora.

Filha de Dorival Caymmi (compositor, instrumentista e cantor) e de Stella Maris (cantora). Irmã de Dori Caymmi (instrumentista, arranjador, cantor e compositor) e de Danilo Caymmi (instrumentista, cantor e compositor).
[Saiba Mais]

Dados Artísticos

Em 1960, registrou sua primeira atuação em estúdio, participando da faixa "Acalanto" (Dorival Caymmi), no LP de seu pai, que compôs a canção em sua homenagem, quando a cantora era ainda criança. Lançou, também, seu primeiro disco solo, um 78 rpm, contendo as músicas "Adeus" (Dorival Caymmi) e "Nossos beijos" (Hianto de Almeida e (...)
[Saiba Mais]

Obras

  • Bom-dia (c/ Gilberto Gil)
[Saiba Mais]

Discografia

  • (2014) Caymmi centenário • Biscoito Fino • CD
  • (2013) Caymmi (Nana Caymmi, Danilo Caymmi e Dori Caymmi) – Som Livre - CD
  • (2012) Nana Caymmi - A Dama da Canção (Nana Caymmi) – EMI – caixa com 18 CDs
  • (2011) Insensato Coração – nacional (vários artistas) – participação – Som Livre - CD
  • (2009) Sem poupar coração (Nana Caymmi) • Som Livre • CD
  • (2009) Caminho das Índias – Trilha sonora da novela (Vários artistas) – participação – Som Livre – CD
[Saiba Mais]

Shows

  • As canções de Nana – Vivo Rio, Rio de Janeiro (2012)
  • Nana Caymmi – Miranda, Rio de Janeiro (2012)
  • Nana Caymmi. Barroco, RJ.
  • Nana Caymmi e Dori Caymmi. Punta del Este, Uruguai.
  • Mustang Cor de Sangue. Marcos Valle, Nana Caymmi, Paulo Sérgio Valle e Apolo 3. Teatro Castro Alves, Salvador, BA, e Teatro de Bolso, RJ.
  • Nana Caymmi. Punta del Este, Uruguai.
[Saiba Mais]

Bibliografia Crítica

  • ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira - Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006.
  • AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.
  • AMARAL, Euclides. O Guitarrista Victor Biglione & a MPB. Rio de Janeiro: Edições Baleia Azul, 2009, 2ª ed. Esteio Editora, 2011.
  • REPPOLHO. Dicionário Ilustrado de Ritmos & Instrumentos de Percussão. Rio de Janeiro: GJS Editora, 2012. 2ª ed. Idem, 2013.
[Saiba Mais]

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Músicas dos anos 50 e 60 (De volta no tempo)

Especial / Paulo César Pinheiro


Paulo César Francisco Pinheiro
 28/4/1949 Rio de Janeiro, RJ 
Letrista. Poeta.

Começou a escrever versos na época em que morou em Angra dos Reis (RJ). Nessa cidade, conheceu João de Aquino, com quem compôs suas primeiras canções. É casado com a instrumentista Luciana Rabello.
[Saiba Mais]

Dados Artísticos

Em 1964, compôs "Viagem" (c/ João de Aquino). No ano seguinte, iniciou uma parceria com Baden Powell. Ainda na década de 60, participou dos seguintes festivais:

1968: I Bienal do Samba (TV Record), com "Lapinha" (c/ Baden Powell), classificada 1º lugar. Nesse mesmo ano, a música foi gravada por Elis Regina;

1968: III Festival da Música Popular (...)
[Saiba Mais]

Obras

  • A água e a pedra (c/ Paulo Valdez)
  • À flor da pele (c/ Maurício Tapajós e Clara Nunes)
  • A flor das estradas (c/ Dori Caymmi)
  • A gafieira (c/ Lisa Ono)
  • A gente merece ser feliz (c/ Ivan Lins)
  • A grande ausente (c/ Francis Hime)
[Saiba Mais]

Discografia

  • (2003) O lamento do samba • Quelé • CD
  • (1996) Tudo o que mais nos uniu. Eduardo Gudin, Marcia e Paulo César Pinheiro • Velas • CD
  • (1994) Parcerias. João Nogueira e Paulo César Pinheiro. Ao vivo • Velas • CD
  • (1983) Poemas escolhidos • EMI-Odeon • LP
  • (1980) Paulo César Pinheiro • EMI-Odeon • LP
  • (1976) O importante é que a nossa emoção sobreviva nº 2. Marcia, Eduardo Gudin e Paulo César Pinheiro • EMI-Odeon • LP
[Saiba Mais]

Bibliografia Crítica

  • ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira - Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006.
  • AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.
  • CAMPOS, Conceição. A letra brasileira de Paulo César Pinheiro: uma jornada musical. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2009.
  • ECHEVERRIA, Regina Lico. Furacão Elis. São Paulo: Editora Globo, 1994.
[Saiba Mais]

Crítica

O Compositor Paulo César Pinheiro costuma se apresentar como filho de Nelson Cavaquinho. Não precisa nem do teste de DNA. As identidades estão evidentes, seja naquele tom de voz de quem canta apesar de tudo, seja no talento inigualável para o trato com as palavras. O dom de escrever letras magistrais, o mangueirense Nelson direcionou quase todo para um sentimento entre (...)
[Saiba Mais]

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Memória / Marisa Gata Mansa

Marisa Vertullo Brandão
 27/4/1938 Rio de Janeiro, RJ 
 10/1/2003 Rio de Janeiro, RJ

Cantora.

Mãe do músico Marcelo Mariano. É de origem de uma família que gostava muito de música e desde a infância se interessou em cantar. Devido ao seu jeito calmo de falar, recebeu de Djalma Sampaio o apelido de "Gata Mansa", que adotou como nome artístico ainda na década de 1950.

Foi casada com o compositor e pianista (...)
[Saiba Mais]

Dados Artísticos

Em 1953, recebeu de João Gilberto a música "Você esteve com meu bem?", de João Gilberto e Russo do Pandeiro, que gravou em seu primeiro disco, lançado pela RCA Victor. No ano seguinte, iniciou sua carreira como intérprete de jazz. No mesmo ano, gravou os sambas "Só eu não", de Monsueto, Raul Marques e M. Fernandes, e "Quem me fez chorar", de Caboclo, (...)
[Saiba Mais]

Discografia

  • ([S. d]) Encontro com Antônio Maria • LP
  • (1982) Leopardo • Independente • LP
  • (1980) Marisa Gata Mansa • Independente • LP
  • (1972) Viagem • Compacto simples
  • (1961) Um novo céu/Operação amor • Copacabana • 78
  • (1960) Marisa no Litte Club • Copacabana • LP
[Saiba Mais]

Shows

  • Encontro de amor. Teatro da Galeria, RJ.
  • "Dolores, 20 anos depois".
  • "A noite do meu bem".
  • Leopardo. Sala Funarte, RJ.
  • "Tributo a Dolores Duran".
  • "Encontro com Antônio Maria".
[Saiba Mais]

Bibliografia Crítica

  • AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.
  • CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.
  • CASTRO, Ruy. Chega de saudade: a história e as histórias da bossa nova. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.
[Saiba Mais]

Seguidores

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz
Clique na imagem

22 de Novembro é dia de Santa Cecília...

Padroeira dos músicos, por isso hoje também é comemorado o dia do músico. O músico pode ser arranjador, intérprete, regente e compositor. Há quem diga que os músicos devem ter talento nato para isso, mas existem cursos superiores na área e pessoas que estudam música a vida toda.
O músico pode trabalhar com música popular ou erudita, em atividades culturais e recreativas, em pesquisa e desenvolvimento, na edição, impressão e reprodução de gravações. A grande maioria dos profissionais trabalha por contra própria, mas existem os que trabalham no ensino e os que são vinculados a corpos musicais estaduais ou municipais.
A santa dos músicos
Santa Cecília viveu em Roma, no século III, e participava diariamente da missa celebrada pelo papa Urbano, nas catacumbas da via Ápia. Ela decidiu viver casta, mas seu pai obrigou-a a casar com Valeriano. Ela contou ao seu marido sua condição de virgem consagrada a Deus e conseguiu convence-lo. Segundo a tradição, Cecília teria cantado para ele a beleza da castidade e ele acabou decidindo respeitar o voto da esposa. Além disso, Valeriano converteu-se ao catolicismo.

Mito grego
Na época dos gregos, dizia-se que depois da morte dos Titãs, filhos de Urano, os deuses do Olimpo pediram que Zeus criasse divindades capazes de cantar as vitórias dos deuses do Olimpo. Então, Zeus se deitou com Mnemosina, a deusa da memória, durante nove noites consecutivas. Nasceram dessas noites as nove Musas. Dessas nove, a musa da música era Euterpe, que fazia parte do cortejo de Apolo, deus da Música.
Fonte: UFGNet

Rádio MEC AM

CONTOS NO RÁDIO