Homenageado do mês de Outubro / Zé Ramalho, José Ramalho Neto / * 3/10/1949 Brejo da Cruz, PB / Cantor. Compositor. Produtor / Seu pai faleceu quando ele tinha dois anos de idade, sendo então entregue pela mãe ao avô, José Alves Ramalho.

Pesquisar este blog

MPB - Google Notícias

Quem Somos?


 A Rádio Campinarte na verdade é um blog com o objetivo de divulgar, promover e na medida do possível gerar renda para os artistas (músicos) em particular do Terceiro Distrito de Duque de Caxias no Rio de Janeiro.
Um blog com cara de rádio, notícias do mundo do rádio, cantores do rádio.Um blog que tem como uma de suas principais bandeiras os novos talentos sem esquecer dos grandes nomes da música popular brasileira de todos os tempos; sem esquecer os pioneiros, os baluartes, os verdadeiros ícones da era de ouro do rádio. Fazemos isso para que esses novos talentos não percam de vista nossas referências musicais que até hoje são veneradas mundo a fora - uma forma que encontramos de dizer um MUITO OBRIGADO àqueles que nos proporcionaram (e continuam proporcionando) com suas vozes, suas músicas, momentos de paz e alegria. Uma maneira de agradecer a todos que ajudaram a compor as trilhas sonoras de milhões e milhões de pessoas.
Este blog irá gradativamente estreitar os seus laços com as Rádios Comunitárias que desenvolvem um papel importantíssimo em nossos bairros.
A Rádio Campinarte tem (fundamentalmente) um compromisso com a qualidade e o bom gosto / e qualidade e bom gosto nos vamos pinçar nos nossos bairros, o que nós queremos mesmo é fazer jus ao nome: RÁDIO CAMPINARTE - O SOM DAS COMUNIDADES.


CLIQUE NAS IMAGENS E OUÇA OS NOSSOS ESPECIAIS

  
   

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

domingo, 31 de agosto de 2014

Campinarte Memória / Jackson do Pandeiro


José Gomes Filho
 31/8/1919 Alagoa Grande, PB 
 10/7/1982 Brasília, DF



Biografia

Cantor. Compositor. Instrumentista.

Sua mãe, Glória Maria da Conceição, conhecida como Flora Mourão, era cantadora de coco, sendo uma das mais requisitadas nas festas da cidade de Alagoa Grande. Flora Mourão tocava o ganzá e cantava, acompanhada por João Feitosa, que tocava a zabumba. Desde cedo, Jackson viu e ouviu a mãe (...)
[Saiba Mais]

Dados Artísticos

Aos 17 anos, trabalhava numa padaria, quando, durante o carnaval, viu passar um bloco e, abandonando o serviço, foi atrás dele. Na mesma época, passou a atuar como substituto do baterista de um conjunto que se apresentava no Clube Ipiranga, efetivando-se, mais tarde, como percussionista do grupo. Atuou como ritmista em diversas festas na cidade. Em 1939, passou a fazer dupla com (...)
[Saiba Mais]

Obras

  • Boa-noite (c/ Tito Neto e Alventino Cavalcânti)
  • Boa-vida (c/ José Garcia e Lourival Perez)
  • Boi da cara preta (c/ Alventino Cavalcanti e Ari Monteiro)
  • Boi tungão
  • Cacungaruquê (c/ Pedro Melodia)
  • Cajueiro (c/ Raimundo Baima)
[Saiba Mais]

Discografia

  • (2011) Jackson do Pandeiro ao vivo - Microservice - CD
  • (2011) Jackson do Pandeiro - dois lados (coletânea) – Universal Music - CD
  • (1998) Casaca de couro • Sony • CD
  • (1997) Forró do Jackson • Copacabana • CD
  • (1997) Sua majestade, o rei do rítmo • Copacabana • CD
  • (1981) Isto que é forró • PolyGram • LP
[Saiba Mais]

Shows

  • Com Zé Ramalho. Teatro João Caetano, Rio de Janeiro - RJ.
[Saiba Mais]

Bibliografia Crítica

  • AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.
  • MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.
  • MOURA, Fernando e VICENTE, Antônio. Jackson do Pandeiro. O rei do ritmo. Editora 34, 2001.
[Saiba Mais]

Crítica

Jackson foi um Rei do Ritmo. Não apenas porque ele tocava – e muitíssimo bem – o pandeiro, mas também – aí o seu maior segredo – por empregar a voz com tal maestria, que ela também era um instrumento, ritmo e bossa. E, segundo, porque o Brasil nunca agradeceu o bastante a Jackson enquanto vivo, anos a fio relegado a posições (...)
[Saiba Mais]

Especial / Francis Hime




Francis Hime

Francis Victor Walter Hime / + 31/8/1939 Rio de Janeiro, RJ
Compositor. Pianista, Arranjador. Maestro. Cantor / Filho da pintora Dália Antonina. Começou a estudar piano clássico aos seis anos de idade, com Carmem Manhães, ingressando depois no Conservatório Brasileiro de Música, onde permaneceu durante sete anos. De 1955 a 1959, estudou em Lausanne (Suíça). De volta ao Brasil, teve aulas de (...)
Em 1962, começou a freqüentar as reuniões musicais realizadas na casa de Petrópolis de Vinicius de Moraes, ao lado de Carlos Lyra, Baden Powell, Edu Lobo, Dori Caymmi, Wanda Sá e Marcoos Valle. É dessa época, sua primeira parceria com Vinicius, a canção "Sem mais adeus", gravada pela primeira vez por Wanda Sá, em 1963.

Campinarte Memória / Emilinha Borba

Emília Savana da Silva Borba
 31/8/1923 Rio de Janeiro, RJ /  3/10/2005 Rio de Janeiro, RJ

Cantora.
Nasceu no Rio de Janeiro, à Rua Visconde de Niterói, na Vila Savana, bairro de Mangueira. Filha de Eugênio Jordão Borba e Edith da Silva Borba. Com a família de seis irmãos, dentre os quais, José, seu irmão gêmeo, passou grande parte da sua infância em Mangueira. Em seguida, mudou-se com a família para o (...)
[Saiba Mais]

Começou freqüentando programas de calouros, apesar da relutância de sua mãe. Ganhou seu primeiro prêmio, aos 14 anos, na "Hora Juvenil", da Rádio Cruzeiro do Sul. Cantou também no programa "Calouros de Ary Barroso", obtendo a nota máxima ao interpretar "O X do problema", de Noel Rosa. Logo depois, começou a fazer parte dos coros das gravações (...)

Obras

  • Amor maior do mundo (c/ Fernando Costa)
  • É brasa (c/ Fernando Costa e Rossini Pinto)
[Saiba Mais]Discografia
  • (2004) Se queres saber • Revivendo • CD
  • (2003) Emilinha pinta e borda • CD
  • (1991) Emilinha Borba • Revivendo • CD
  • (1990) Presença de Emilinha (duplo) • CBS • LP
  • (1990) O maravilhoso mundo musical de Emilinha Borba, Vol. 2 • CBS • LP
  • (1988) Sempre favorita • Revivendo • LP [Saiba Mais] Shows
  • "Oh! As marchinhas", com o cantor Jorge Goulart, Sala Sidney Miller/Funarte, Rio de Janeiro. Roteiro e direção de Ricardo Cravo Albin.
  • "Quero Kelly", com João Roberto Kelly, Sala Sidney Miller/Funarte, direção de Ricardo Cravo Albin. [Saiba Mais] 
  • Bibliografia Crítica
  • ALBIN, Ricardo Cravo. O livro de ouro da MPB - A História de nossa música popular de sua origem até hoje. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003.
  • AZEVEDO, M. A . de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.
  • CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário Biográfico da música Popular. Rio de Janeiro: Edição do autor, 1965.
  • MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.
  • SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Volume1. São Paulo: Editora: 34, 1999.
  • VASCONCELOS, Ari. Panorama da música popular brasileira - volume 2. Rio de Janeiro: Martins, 1965. [Saiba Mais]

Crítica

Fenômeno, talvez, para apreciação antes sociológica do que musical, rainha absoluta dos auditórios e, para além deles, estrela mais popular de todo o rádio, no período de mais afirmação e maior alcance nacional desse veículo, o que inclui a segunda metade dos anos 40 e a primeira dos anos 50, Emilinha Borba não contou (...) [Saiba Mais]

sábado, 30 de agosto de 2014

Campinarte Memória / Bienvenido Granda


Bienvenido Granda (Bienvenido Rosendo Granda Aguilera), cantor, nasceu em Havana, Cuba, em 30 de agosto de 1915 e faleceu na Cidade do México, México, em 9 de julho de 1983.
 
Orfão de pai desde os seis anos de idade, desde criança mostrou afinidade pelos ritmos cubanos e os tangos, que cantava nos ônibus. 

Começou pouco a pouco a consolidar sua carreira e atuou em emissoras de rádio dos anos 40 e 50, como CMQ, RHC Cadena Azul, Rádio Cadena Suaritos e Rádio Progreso. 

Um momento importante em sua vida foi o seu ingresso a Sonora Matancera, em 1940. Com este grupo permaneceu durante muitos anos como cantor, até 1954, e posteriormente passou a cantar como solista.
Apresentou-se na Colômbia e outros países, até fixar residência na Cidade do México, México. Interpretou vários gêneros musicias cubanos e do Caribe, cultivando especialmente o bolero com um original estilo e timbre pessoal. 
Era conhecido pelo apelido de "El bigote que canta". Entre suas composições se destacam Todo el mundo canta e México (guaguancós); Pasión extraña, Perfume de gardenia, En la orilla del mar, Angustia, Oración de amor e Ten piedad (boleros).

De volta no tempo / Márcio Greyck


Mércio Pereira Leite
30/8/1947 Belo Horizonte, MG
Cantor. Compositor. Instrumentista.



Dados Artísticos

Iniciou a carreira em sua cidade natal onde já obtinha bastante sucesso quando foi para o Rio de Janeiro em 1967. No mesmo ano foi aprovado em teste na gravadora Polydor lançando um compacto simples com as músicas "Minha menina", versão de "Eleanor Rigby", do conjunto inglês The Beatles e "Venha sorrindo". No ano seguinte lançou um compacto duplo com as músicas (...) [Saiba Mais]


Obras

  • Impossível acreditar que perdi você (c/ Cobel)
  • Vivendo por viver (c/ Cobel) [Saiba Mais]

Discografia


  • (1972) Impossível acreditar que perdi você • LP

  • (1968) Sempre vou te amar/Como um dia nascer/Ela me deixou chorando/Venha sorrindo • Polydor • CD

  • (1967) Minha menina/Venha sorrindo • Polydor • Compacto simples [Saiba Mais]


Seguidores

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz
Clique na imagem

22 de Novembro é dia de Santa Cecília...

Padroeira dos músicos, por isso hoje também é comemorado o dia do músico. O músico pode ser arranjador, intérprete, regente e compositor. Há quem diga que os músicos devem ter talento nato para isso, mas existem cursos superiores na área e pessoas que estudam música a vida toda.
O músico pode trabalhar com música popular ou erudita, em atividades culturais e recreativas, em pesquisa e desenvolvimento, na edição, impressão e reprodução de gravações. A grande maioria dos profissionais trabalha por contra própria, mas existem os que trabalham no ensino e os que são vinculados a corpos musicais estaduais ou municipais.
A santa dos músicos
Santa Cecília viveu em Roma, no século III, e participava diariamente da missa celebrada pelo papa Urbano, nas catacumbas da via Ápia. Ela decidiu viver casta, mas seu pai obrigou-a a casar com Valeriano. Ela contou ao seu marido sua condição de virgem consagrada a Deus e conseguiu convence-lo. Segundo a tradição, Cecília teria cantado para ele a beleza da castidade e ele acabou decidindo respeitar o voto da esposa. Além disso, Valeriano converteu-se ao catolicismo.

Mito grego
Na época dos gregos, dizia-se que depois da morte dos Titãs, filhos de Urano, os deuses do Olimpo pediram que Zeus criasse divindades capazes de cantar as vitórias dos deuses do Olimpo. Então, Zeus se deitou com Mnemosina, a deusa da memória, durante nove noites consecutivas. Nasceram dessas noites as nove Musas. Dessas nove, a musa da música era Euterpe, que fazia parte do cortejo de Apolo, deus da Música.
Fonte: UFGNet

Rádio MEC AM

CONTOS NO RÁDIO