Homenageado do mês de Outubro / Zé Ramalho, José Ramalho Neto / * 3/10/1949 Brejo da Cruz, PB / Cantor. Compositor. Produtor / Seu pai faleceu quando ele tinha dois anos de idade, sendo então entregue pela mãe ao avô, José Alves Ramalho.

Pesquisar este blog

MPB - Google Notícias

Quem Somos?


 A Rádio Campinarte na verdade é um blog com o objetivo de divulgar, promover e na medida do possível gerar renda para os artistas (músicos) em particular do Terceiro Distrito de Duque de Caxias no Rio de Janeiro.
Um blog com cara de rádio, notícias do mundo do rádio, cantores do rádio.Um blog que tem como uma de suas principais bandeiras os novos talentos sem esquecer dos grandes nomes da música popular brasileira de todos os tempos; sem esquecer os pioneiros, os baluartes, os verdadeiros ícones da era de ouro do rádio. Fazemos isso para que esses novos talentos não percam de vista nossas referências musicais que até hoje são veneradas mundo a fora - uma forma que encontramos de dizer um MUITO OBRIGADO àqueles que nos proporcionaram (e continuam proporcionando) com suas vozes, suas músicas, momentos de paz e alegria. Uma maneira de agradecer a todos que ajudaram a compor as trilhas sonoras de milhões e milhões de pessoas.
Este blog irá gradativamente estreitar os seus laços com as Rádios Comunitárias que desenvolvem um papel importantíssimo em nossos bairros.
A Rádio Campinarte tem (fundamentalmente) um compromisso com a qualidade e o bom gosto / e qualidade e bom gosto nos vamos pinçar nos nossos bairros, o que nós queremos mesmo é fazer jus ao nome: RÁDIO CAMPINARTE - O SOM DAS COMUNIDADES.


CLIQUE NAS IMAGENS E OUÇA OS NOSSOS ESPECIAIS

  
   

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

G. R. E. S. Caprichosos de Pilares

A Caprichosos de Pilares foi fundada a 19 de fevereiro de 1949, por Walter Machado, Ferminiani da Silva, Amarildo Cristiano, Sebastião Benjamin, Beto Limoeiro, Valtinho Fala-Fina, entre outros, componentes da Unidos da Terra Nova que, insatisfeitos com as apresentações da escola, queriam fazer desfiles de uma grande escola de samba. A maioria de seus componentes é de comunidades circunvizinhas dos morros do Urubu, Engenho da Rainha e das favelas Fernão Cardin e Rato Molhado. As cores de sua bandeira são azul e branco. O primeiro desfile oficial ocorreu em 1953, quando ficou em sétimo lugar no Grupo 2. O primeiro campeonato veio em 1960, no Grupo 2, com o enredo "Invasão holandesa na Bahia". Tornou-se campeã novamente no carnaval de 1971, desta vez no Grupo 3, com o enredo "Primaveras". Em 1978, a escola recebeu o Estandarte de Ouro do jornal O Globo, pelo melhor samba-enredo, "A festa da uva em Caxias do Sul", de Alcino Corrêa e Valadão. Subiu para a elite das escolas de samba ao vencer o Grupo 2 em 1982, sob o comando de Luís Fernando Reis - carnavalesco da escola de 1982 a 87 e 93 a 94 - com o samba-enredo de Alcino Corrêa,"Moça bonita não paga", inspirado nas feiras livres. Embora não tenha alcançado o campeonato do grupo de elite, a Caprichosos emplacou o maior sucesso do carnaval de 1985, "E por falar em saudade" (de Almir Araújo, Marquinhos Lessa, Hércules Corrêa, Balinha e Carlinhos de Pilares), que ficou mais conhecida como "Tem bumbum de fora", em virtude do refrão final. Rebaixada em 1996, retornou para o Grupo Especial em 1998. Segundo o livro "Carnaval - Seis mil anos de história", de autoria de Hiram Araújo, não há registro do nome dos enredos nos anos de 1953 e 1954, nos quais a escola se classificou no sétimo e no segundo lugares, repectivamente, no Grupo 2. As outras colocações nos grupos com seus respectivos enredos nos anos seguintes, de acordo como o livro, foram: 1955: décimo lugar no Grupo 1, com o enredo "Retirada da Laguna"; 1956: décimo quarto lugar no Grupo 1, com o enredo "Exaltação à Justiça brasileira"; 1957: oitavo lugar no Grupo 1, com o enredo "Exaltação à música brasileira"; 1959: décimo lugar no Grupo 1, com o enredo "Laços de fita"; 1960: primeiro lugar no Grupo 2, com o enredo "Invasão holandesa na Bahia"; 1961: nono lugar no Grupo 1, com o enredo "Império de d. Pedro II";1962: quarto lugar no Grupo 2, com o enredo "Galeria dos bravos"; 1963: nono lugar no Grupo 2, com o enredo "A lenda da pedra verde"; 1964: décimo lugar no Grupo 2, com o enredo "O último baile da corte imperial"; 1965: décimo primeiro lugar no Grupo 2, com o enredo "O IV Centenário do Rio de Janeiro";1966: décimo segundo lugar no Grupo 2, com o enredo "A vida e obra de d. João VI"; 1967: décimo lugar no Grupo 2, com o enredo "O Brasil através de sua música"; 1968: décimo terceiro lugar no Grupo 2, com o enredo "Brasil em plena primavera";1969: oitavo lugar no Grupo 3, com o enredo "A Revolução dos Alfaiates na Bahia"; 1970: décimo primeiro lugar no Grupo 3, com o enredo "Consagração histórica de uma princesa"; 1971: primeiro lugar no Grupo 3, com o enredo "Brasil na primavera"; 1972: décimo primeiro lugar no Grupo 2, com o enredo "Brasil - A flor que desabrocha"; 1973: décimo terceiro lugar no Grupo 2, com o enredo "Aclamação e coroação de D. Pedro I"; 1974: terceiro lugar no Grupo 3, com o enredo "Adeus, Praça Onze, Adeus";1975: décimo lugar no Grupo 2, com o enredo "Congada do rei David"; 1976: décimo terceiro lugar no Grupo 2, com o enredo "Sonho de Pierrô"; 1977: terceiro lugar no Grupo 3, com o enredo "Maria Quitéria, heroína de uma raça";1978: sexto lugar no Grupo 2, com o enredo "Festa da uva no Rio Grande do Sul"; 1979: sexto lugar no Grupo 1-B, com o enredo "Uruçumirim, paraíso tupinambá";1980: quinto lugar no Grupo 1-B, com o enredo "É a maior";1981: décimo segundo lugar no Grupo 1-B, com o enredo "Amor, sublime amor"; 1982: primeiro lugar no Grupo 1-B, com o enredo "Moça bonita não paga"; 1983: (Segundo Hiram Araújo, no livro "Carnaval - Seis mil anos de história", a escola não foi julgada por falta de luz) - Enredo "Um cardápio à brasileira"; 1984: terceiro lugar no Grupo 1-A, com o enredo "A visita da nobreza do riso a Chico Rei"; 1985: quarto lugar no Grupo 1-A, com o enredo "E por falar em saudade"; 1986: nono lugar no Grupo 1, com o enredo "Brasil, não seremos jamais, ou seremos?"; 1987: oitavo lugar no Grupo 1, com o enredo "Eu prometo";1988: oitavo lugar no Grupo 1, com o enredo "Luz, câmara, ação; 1989: décimo segundo lugar no Grupo Especial, com o enredo "O que é bom todo mundo gosta"; 1990: décimo terceiro lugar no Grupo Especial, com o enredo "Com a boca no mundo"; 1991: décimo lugar no Grupo Especial, com o enredo "3° milênio - Em busca do juízo final"; 1992: décimo lugar no Grupo Especial, com o enredo "Brasil Feito à mão - Do barro ao carnaval"; 1993: décimo terceiro lugar no Grupo Especial, com o enredo "Não existe pecado no lado de cá do Túnel Rebouças"; 1994: décimo lugar no Grupo Especial, com o enredo "Estou amando loucamente uma coroa de quase 90 anos";1995: décimo lugar no Grupo Especial, com o enredo "Da terra brotei, negro sou e ouro virei"; 1996: décimo quinto lugar no Grupo Especial, com o enredo "Samba, sabor chocolate"; 1997: segundo lugar no Grupo 1, com o enredo "Do tambor ao computador"; 1998: décimo lugar no Grupo Especial, com o enredo "Negra origem, negro Pelé, negra Bené"; 1999: nono lugar no Grupo Especial, com o enredo "No universo da beleza, mestre Pitanguy"; 2000: décimo primeiro lugar no Grupo Especial, com o enredo "Brasil, teu espírito é santo"; 2001: desfilou no Grupo Especial com o enredo "Goiás, um sonho de amor no coração do Brasil". No ano seguinte, em 2002, desfilou com o samba-enredo "Deu pra ti! Tô em alto astral! Tô com Porto Alegre, tri-legal!" de autoria de J. Mazarim e André Fullgaz, homenageando a dupla gaúcha Kleiton e Kledir, puxado na avenida por Jackson Martins e classificando-se em 12º lugar no desfile do Grupo Especial. No ano de 2003 desfilou com o samba-enredo "Zumbi, Rei de Palmares e herói do Brasil. A história que não foi contada" de Carlos Ortiz, Claudia Nei, Alberto Capital e Mestre Augusto. Em 2004, com o samba-enredo "Xuxa e seu reino encantado no carnaval da imaginação" (Preto Jóia, Nei Negrone, Silvio Araújo e Riquinho Gremião), puxado por Jackson Martins, a escola classificou-se em 13º lugar no Grupo Especial. No mês de agosto de 2004, o puxador Jackson Martins foi assassinado na rodovia Washigton Luis, no Rio de Janeiro, após o carro emprestado em que usava ser abordado por um assaltante que disparou após o confundir com militar. O corpo foi enterrado no Cemitério da Solidão, em Belford Roxo. Em 2005 a escola desfilou com o samba-enredo "Carnaval, doce ilusão - a gente se encontra aqui, no meio da multidão! 20 anos de Liga", de J. L.Fróes, Carlinhos Danoninho, Edmar Silva, Jorge 101, Fernando de Lima, Rafael França e Lee Santana, tendo como intérprete Serginho do Porto, classificando-se em 11º lugar no Grupo Especial. No ano de 2006 desfilou com o samba-enredo "Na folia com o Espírito Santo, o Espírito Santo caprichou", de Josemar Manfredini, Mauro Speranza e Márcio do Swing, interpretado por Clóvis Pê, classificando-se em 13º lugar, sendo rebaixada para o Grupo de Acesso. Em 2007 desfilou com o enredo "Com Todo o Gás, a Caprichosos Acende a Chama do Carnaval", do caranvalesco Marcos Januário, que classificou a escola em segundo lugar, sendo a vice-campeã do carnaval carioca do Grupo de Aceso A. Em 2008, desfilando no Grupo de Acesso A, classificou-se em sexto lugar com o enredo "De Santo Antônio de Sá ao Polo Petroquímico, Itaboraí...uma terra abençoada!", do caranvalesco Lane Santana. No ano de 2009 desfilou com o enredo "No transporte da alegria...Me leva Caprichosos a caminho da folia", dos carnavalescos Lane Santana e Sandro Gomes, classificando-se em décimo lugar do Grupo de Acesso A. Em 2010 desfilou com o enredo "E por falar em saudade", classificando-se em sétimo lugar no Grupo de Acesso A. No ano de 2011 ficou em décimo lugar no desfile do Grupo de Acesso A com o enredo "Gente Humilde", de Amauri Santos, sendo rebaixada para o Grupo de Acesso B. No ano de 2015 a escola classificou-se em sétimo lugar no Grupo de Acesso Série A. BIBLIOGRAFIA CRÍTICA: ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira - Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006. AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.
dicionariompb.com.br/g-r-e-s-caprichosos-de-pilares/dados-artisticos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz
Clique na imagem

22 de Novembro é dia de Santa Cecília...

Padroeira dos músicos, por isso hoje também é comemorado o dia do músico. O músico pode ser arranjador, intérprete, regente e compositor. Há quem diga que os músicos devem ter talento nato para isso, mas existem cursos superiores na área e pessoas que estudam música a vida toda.
O músico pode trabalhar com música popular ou erudita, em atividades culturais e recreativas, em pesquisa e desenvolvimento, na edição, impressão e reprodução de gravações. A grande maioria dos profissionais trabalha por contra própria, mas existem os que trabalham no ensino e os que são vinculados a corpos musicais estaduais ou municipais.
A santa dos músicos
Santa Cecília viveu em Roma, no século III, e participava diariamente da missa celebrada pelo papa Urbano, nas catacumbas da via Ápia. Ela decidiu viver casta, mas seu pai obrigou-a a casar com Valeriano. Ela contou ao seu marido sua condição de virgem consagrada a Deus e conseguiu convence-lo. Segundo a tradição, Cecília teria cantado para ele a beleza da castidade e ele acabou decidindo respeitar o voto da esposa. Além disso, Valeriano converteu-se ao catolicismo.

Mito grego
Na época dos gregos, dizia-se que depois da morte dos Titãs, filhos de Urano, os deuses do Olimpo pediram que Zeus criasse divindades capazes de cantar as vitórias dos deuses do Olimpo. Então, Zeus se deitou com Mnemosina, a deusa da memória, durante nove noites consecutivas. Nasceram dessas noites as nove Musas. Dessas nove, a musa da música era Euterpe, que fazia parte do cortejo de Apolo, deus da Música.
Fonte: UFGNet

Rádio MEC AM

CONTOS NO RÁDIO