Pesquisar este blog

MPB - Google Notícias

Quem Somos?


 A Rádio Campinarte na verdade é um blog com o objetivo de divulgar, promover e na medida do possível gerar renda para os artistas (músicos) em particular do Terceiro Distrito de Duque de Caxias no Rio de Janeiro.
Um blog com cara de rádio, notícias do mundo do rádio, cantores do rádio.Um blog que tem como uma de suas principais bandeiras os novos talentos sem esquecer dos grandes nomes da música popular brasileira de todos os tempos; sem esquecer os pioneiros, os baluartes, os verdadeiros ícones da era de ouro do rádio. Fazemos isso para que esses novos talentos não percam de vista nossas referências musicais que até hoje são veneradas mundo a fora - uma forma que encontramos de dizer um MUITO OBRIGADO àqueles que nos proporcionaram (e continuam proporcionando) com suas vozes, suas músicas, momentos de paz e alegria. Uma maneira de agradecer a todos que ajudaram a compor as trilhas sonoras de milhões e milhões de pessoas.
Este blog irá gradativamente estreitar os seus laços com as Rádios Comunitárias que desenvolvem um papel importantíssimo em nossos bairros.
A Rádio Campinarte tem (fundamentalmente) um compromisso com a qualidade e o bom gosto / e qualidade e bom gosto nos vamos pinçar nos nossos bairros, o que nós queremos mesmo é fazer jus ao nome: RÁDIO CAMPINARTE - O SOM DAS COMUNIDADES.


CLIQUE NAS IMAGENS E OUÇA OS NOSSOS ESPECIAIS

  
   

O SHOW DO COMÉRCIO DO CAMPINARTE

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

G. R. E. S. Em Cima da Hora

Fundada a 15 de novembro de 1959, suas cores são azul-pavão e branco, com sede localizada à Rua Zeferino da Costa, 556, no subúrbio de Cavalcante. A escola nasceu de um bloco carnavalesco de Cavalcante. Na reunião para sua fundação, não se chegava a um acordo quanto ao nome da escola. Como a discussão já se estendia pela madrugada, às três horas da manhã um participante exclamou: "Tenho que me retirar, está em cima da hora". Desta forma, nasceu o nome e o símbolo da escola: um relógio marcando três horas. Próxima aos bairros de Cascadura e Inhaúma, figurou no grupo principal sete vezes por suas boas apresentações. Várias pessoas importantes pertenceram à escola, dentre eles o escritor e compositor Sérgio Cabral, Baianinho, compositor de vários sucessos e João Severino, que presidiu a agremiação durante muitos anos. Em 1976, a escola apresentou na avenida o seu mais famoso samba-enredo "Os Sertões", de E. Paula. As suas principais colocações nos grupos e seus respectivos enredos, segundo Hiram Araújo, no livro "Carnaval - Seis Mil anos de História", foram: 1972, 8º lugar do Grupo 1 com o samba-enredo "Bahia, berço do Brasil" (de Baianinho), gravado pelo próprio autor neste mesmo ano em compacto simples, lançado pela AESEG (Associação das Escolas de Samba do Estado da Guanabara) em conjunto com a gravadora Top Tap;1995, 10º lugar no Grupo de Acesso A, com o enredo "De Freqüência em Freqüência, na Cadência do Samba"; 1996, sexto lugar no Grupo de Acesso A, com o enredo "Yara, Cigana, Canta, Dança e Toca, é Rio, é Rua, é Carioca";1997, quinto lugar no Grupo de Acesso A, com o enredo "Sérgio Cabral, A Cara do Rio";1998, sétimo lugar no Grupo de Acesso A, com o enredo "Quem é Você, Zuzu Angel? ... Um Anjo Feito Mulher?";1999, desfilou no Grupo de Acesso A; 2000, desfilou no Grupo de Acesso A, com o enredo "Osvaldo Cruz - A Saga de Um Herói Brasileiro"; 2001, 12º lugar no Grupo A, com o enredo "Goiá Tacá Amopi - O Campo das Delícias". No ano de 2012, na Livraria da Travessa, no bairro do Leblon, Zona Sul do Rio de Janeiro, foi lançado o livro "Marcadas para viver", de autoria do jornalista, compositor e pesquisador de carnaval João Pimentel, sobre as agremiações que já desapareceram ou estão em grupos das últimas divisões do carnaval carioca. O livro faz parte da Coleção "Cadernos de Samba", da Editora Verso Brasil. No ano de 2015 a escola classificou-se em décimo quinto lugar no Grupo de Acesso Série A, sendo rebaixada para o Grupo de Acesso Série B para o desfile do ano posterior. BIBLIOGRAFIA CRÍTICA: ALBIN, Ricardo Cravo. Dicionário Houaiss Ilustrado Música Popular Brasileira - Criação e Supervisão Geral Ricardo Cravo Albin. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss, Instituto Cultural Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006. AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.
dicionariompb.com.br/g-r-e-s-em-cima-da-hora/dados-artisticos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz

Ouça grátis as 100 maiores músicas do Jazz
Clique na imagem

22 de Novembro é dia de Santa Cecília...

Padroeira dos músicos, por isso hoje também é comemorado o dia do músico. O músico pode ser arranjador, intérprete, regente e compositor. Há quem diga que os músicos devem ter talento nato para isso, mas existem cursos superiores na área e pessoas que estudam música a vida toda.
O músico pode trabalhar com música popular ou erudita, em atividades culturais e recreativas, em pesquisa e desenvolvimento, na edição, impressão e reprodução de gravações. A grande maioria dos profissionais trabalha por contra própria, mas existem os que trabalham no ensino e os que são vinculados a corpos musicais estaduais ou municipais.
A santa dos músicos
Santa Cecília viveu em Roma, no século III, e participava diariamente da missa celebrada pelo papa Urbano, nas catacumbas da via Ápia. Ela decidiu viver casta, mas seu pai obrigou-a a casar com Valeriano. Ela contou ao seu marido sua condição de virgem consagrada a Deus e conseguiu convence-lo. Segundo a tradição, Cecília teria cantado para ele a beleza da castidade e ele acabou decidindo respeitar o voto da esposa. Além disso, Valeriano converteu-se ao catolicismo.

Mito grego
Na época dos gregos, dizia-se que depois da morte dos Titãs, filhos de Urano, os deuses do Olimpo pediram que Zeus criasse divindades capazes de cantar as vitórias dos deuses do Olimpo. Então, Zeus se deitou com Mnemosina, a deusa da memória, durante nove noites consecutivas. Nasceram dessas noites as nove Musas. Dessas nove, a musa da música era Euterpe, que fazia parte do cortejo de Apolo, deus da Música.
Fonte: UFGNet

Rádio MEC AM

CONTOS NO RÁDIO